17:00 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Posto de checagem em Debaltsevo, na região de Donetsk

    Opinião: Rússia salvou EUA de uma guerra desnecessária

    © Sputnik/ Mikhail Voskresenskiy
    Opinião
    URL curta
    Ucrânia em foco da política internacional (289)
    0 613

    Segundo um politólogo norte-americamo, a coisa mais importante, no que se refere à Ucrânia, é que nós conseguimos evitar um confronto militar entre Moscou e Washington, a que os Estados Unidos poderiam chegar como resultado de suas "políticas loucas".

    Este fato é mais um ponto à favor de Vladimir Putin, opina o cientista político dos EUA, Eric Margolis.

    Vladimir Putin conseguiu, pela segunda vez, salvar Barack Obama de um confronto extremamente perigoso entre a Rússia e o Ocidente em conexão com o conflito entre as autoridades de Kiev e as autoproclamadas repúblicas no leste da Ucrânia,  escreveu o cientista político e jornalista Eric Margolis.

    A primeira vez que os esforços do presidente da Rússia conseguiram evitar um conflito de grande escala entre Moscou eo Ocidente foi na crise da Síria. Na altura em que a administração do presidente norte-americano Barack Obama estava acusando o regime de Bashar Assad de usar armas químicas contra rebeldes e se preparava para realizar uma série de ataques aéreos contra a Síria, a Rússia apoiou a posição do presidente sírio e do Conselho de Segurança da ONU e forneceu suas provas do uso de armas de destruição em massa pela oposição.

    Segundo refere Margolis, como resultado de uma investigação realizada pela comissão da ONU, constatou-se que armas de destruição em massa foram usadas pelos rebeldes e uma nova escalada do conflito foi evitada.

    De acordo com o jornalista, a situação se repetiu, desta vez na Ucrânia — com a ajuda dos Acordos de Minsk Moscou se conseguiu evitar uma provável colisão entre duas potências nucleares, mas o plano imprudente dos EUA de armar a Ucrânia e enviar pessoal militar ameaça anular os esforços de paz. Além disso, o campo dos Nacionalistas Ucranianos no governo de Kiev, apoiado pelos norte-americanos, não concorda em aceitar "o plano de Putin".

    Tema:
    Ucrânia em foco da política internacional (289)
    Tags:
    Barack Obama, Vladimir Putin, Síria, EUA, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik