14:00 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Notícias
    URL curta
    032
    Nos siga no

    14 países da União Europeia se dispuseram a ajudar a Alemanha a enviar de volta os imigrantes para os países europeus em que chegaram originalmente, informou a mídia local.

    O órgão de imprensa alemão, Der Spiegel, obteve no sábado (30) um documento denominado “Mais ordem, controle na política de imigração”, compartilhado entre os líderes dos grupos parlamentares do Partido Democrata Cristão e do Partido Social-Democrata. O documento contém os resultados da cúpula do Conselho Europeu realizada entre a quinta-feira (27) e a sexta-feira (28).

    O documento diz que Bélgica, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Lituânia, Letônia, Luxemburgo, Holanda, Portugal, Suécia, Hungria, Polônia e República Tcheca concordaram em ajudar no procedimento acelerado de envio de imigrantes indocumentados para fora da Alemanha.

    No entanto, a Hungria e a República Tcheca supostamente refutaram as informações sobre sua participação no acordo.

    A medida é anunciada em meio à pressão da chanceler alemã, Angela Merkel, de seu ministro do Interior, Horst Seehofer, presidente da União Social Cristã, que promove o controle da imigração.

    Na quinta-feira (27), o encontro do Conselho Europeu chegou a um acordo sobre vários aspectos da política de imigração da União Europeia (UE), incluindo o estabelecimento de "plataformas regionais de desembarque em estreita cooperação com países terceiros" e centros controlados nos estados membros da UE.

    O reassentamento ou realocação de imigrantes em todo o bloco deve ser feito voluntariamente em meio à falta de consenso.

    Os países europeus têm experimentado uma grave crise migratória desde 2015 devido ao afluxo de milhares de imigrantes e refugiados que fogem das crises e da pobreza no Oriente Médio e Norte da África. 

    O atual Regulamento de Dublin da UE permite que os imigrantes sejam enviados de volta ao país de sua primeira entrada no bloco.

    Mais:

    Macron ameaça impor sanções a países da União Europeia que se recusam a receber refugiados
    Plano de defesa da União Europeia coloca OTAN em alerta
    Alemanha e França propõem criação de Conselho de Segurança da União Europeia
    Macron planeja tornar francês o idioma dominante da União Europeia após o Brexit
    União Europeia promete retaliação aos EUA com tarifas de US$ 3,3 bilhões
    Tags:
    França, Hungria, República Tcheca, Bélgica, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Lituânia, Letônia, Luxemburgo, Holanda, Portugal, Suécia, Polônia, Oriente Médio, Norte da África, Angela Merkel, Horst Seehofer, União Europeia, União Social Cristã, Conselho Europeu, Der Spiegel, Partido Democrata Cristão, Partido Social-Democrata da Alemanha, Regulamento de Dublin, crise de imigrantes, imigrantes ilegais, refugiados, crise de refugiados
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar