23:37 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, durante encontro com a oposicão

    Parlamento Europeu aprova resolução que condena situação na Venezuela

    © REUTERS/ Marco Bello
    Notícias
    URL curta
    27984410

    O Parlamento Europeu aprovou uma moção que condena a repressão aos protestos contra o presidente Nicolás Maduro na Venezuela. Os atos da oposição, assim como a violência, têm aumentado nos últimos dias. Existem denúncias de prisões em massa de manifestantes e uma suposta contagem de mortos de envolvidos nos conflitos atingiu 29 pessoas.

    "O Parlamento condena veementemente a 'brutal repressão' das forças de segurança da Venezuela, assim como grupos armados irregulares, contra os protestos pacíficos", diz o informe.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o presidente da Argentina, Mauricio Macri, durante uma reunião na Casa Branca em Washington
    © REUTERS/ Carlos Barria
    A moção pede que o Governo da Venezuela cumpra a Constituição e estabeleça um calendário eleitoral que permita um pleito livre e transparente, definido como "a única maneira de encerrar o atual impasse político". A liberação do líder da oposição e duas candidato presidencial Henrique Capriles, além de uma investigação sobre as mortes, também foi requerida. A oposição do país latino pretende antecipar as eleições presidenciais, previstas para dezembro de 2018.

    De acordo com o documento, a resolução foi apoiada por 450 votos, outros 35 parlamentares votaram contra o documento enquanto 100 se abstiveram. O Parlamento Europeu tem 751 membros dos 28 estados membros.

     

    Mais:

    Assad culpa EUA por conflitos na Síria e na Venezuela
    Venezuela convoca reunião extraordinária na CELAC para denunciar violência opositora
    Venezuela também teve manifestações de apoio ao governo
    Presidente da Colômbia: 'Revolução Bolivariana na Venezuela fracassou'
    Tags:
    Parlamento Europeu, Nicolás Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik