09:30 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Escudo da Associação Chapecoense de Futebol

    Presidente da ACERJ: Chapecoense sempre foi diferente, dentro e fora de campo

    Divulgação
    Notícias
    URL curta
    Queda do avião com Chapecoense (73)
    1 0 0
    Nos siga no

    "A Chapecoense sempre teve uma filosofia diferente no futebol brasileiro. Sempre que dispôs de dinheiro extra em caixa, investiu na infraestrutura, na qualidade do seu campo de futebol, nos seus departamentos, e sempre pagou salários aos jogadores e técnicos de acordo com sua realidade."

    A análise da história da Associação Chapecoense de Futebol é do jornalista esportivo Marcos Penido, presidente da ACERJ (Associação dos Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro). Penido disse à Sputnik que o clube de Chapecó, Santa Catarina, sempre soube se diferenciar no atual panorama do futebol brasileiro, e daí o seu sucesso:

    "Desde que a Chapecoense subiu para a Série A do futebol brasileiro, em 2014, o clube de Santa Catarina não foi rebaixado para a Série B. Enquanto muitos pensavam que ela não iria longe, a equipe deu uma grande demonstração de força este ano, chegando à decisão da Copa Sul-Americana, que, infelizmente, não pôde disputar devido à tragédia de 29 de novembro."

    Na madrugada de terça-feira, 29, caiu o avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, onde o time disputaria nesta quarta-feira, 30, a primeira partida decisiva da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, da Colômbia. Dos 19 jogadores que estavam a bordo, apenas 3 sobreviveram: o goleiro Jackson Follmann, que teve a perna direita amputada, e os zagueiros Neto e Alan Ruschel. As condições clínicas dos três jogadores continuam inspirando cuidados intensivos por parte de médicos e enfermeiros dos hospitais da Colômbia em que estão internados.   

    Para Marcos Penido, "a diretoria da Chapecoense sempre trabalhou com os pés no chão, dentro da sua realidade financeira, e em função desta filosofia o clube chegou aonde chegou, na chamada parte de cima da tabela da Série A, e tendo a oportunidade de decidir o título de uma competição continental como a Copa Sul-Americana."

    Neste momento, a Chapecoense ocupa a nona posição no Campeonato Brasileiro, com 52 pontos ganhos. Seu último compromisso nesta competição será no domingo, 11 de dezembro, contra o Atlético Mineiro.

    Outra virtude da Chapecoense, apontada por Marcos Penido, é a extrema solidariedade demonstrada pela sua equipe:

    "A Chapecoense é um clube de resultados, de futebol de equipe e solidário. Enquanto outras equipes procuram ter virtudes, a Chapecoense sempre buscou atuar de forma séria, solidária, sempre com um jogador ajudando o outro, e sem qualquer rivalidade, dentro e fora de campo. Os resultados desta filosofia estão aí."

    Marcos Penido também reservou elogios para o técnico Caio Jr., outra vítima fatal do trágico acidente na Colômbia:

    "O Caio sempre foi grande dentro do futebol brasileiro. Foi um grande jogador, e como técnico vinha se saindo muito bem, no Brasil e nos clubes do exterior que comandou. Era um técnico da nova geração, estudioso do futebol e muito aplicado em seu trabalho. Recebia críticas, mas sempre soube superá-las e demonstrar o seu valor. Caio Jr. nunca teve medo de ousar, e sempre que ousou conseguiu muito bons resultados."

    Tema:
    Queda do avião com Chapecoense (73)

    Mais:

    Rivais da Chapecoense manifestam apoio ao clube após tragédia
    Prefeito de Chapecó viajaria com a Chape mas ficou em São Paulo e escapou da tragédia
    Especialista explica prováveis razões da tragédia da Chapecoense
    Tags:
    Chapecoense, Marcos Penido, Chapecó, Santa Catarina, Colômbia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar