18:50 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Juristas protocolam pedido de impeachment contra o ministro Gilmar Mendes

    Senador petista: 'Queremos saber as verdadeiras razões para o governo temer a Lava Jato'

    Lula Marques/ AGPT
    Notícias
    URL curta
    780

    Quatorze parlamentares de oposição ao Governo Michel Temer protocolaram na Procuradoria-Geral da República uma representação em que pedem que o Ministério Público Federal investigue a atuação do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da advogada-geral da União, Grace Mendonça.

    Para os parlamentares, a Procuradoria-Geral da República (PGR) deve apurar as declarações do ex-advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, exonerado na última sexta-feira, 9. Em entrevista à revista "Veja", Medina Osório disse que foi demitido do cargo que ocupava porque o Governo quer "abafar" as investigações da Lava Jato. Ele disse ainda que o Executivo tem "muito receio" pelos desdobramentos da operação.

    O documento entregue à PGR é assinado pelos Senadores Humberto Costa (PT-PE), líder do PT no Senado, Gleisi Hoffman (PT-PR), Ângela Portela (PT-RR), Fátima Bezerra (PT-RN), Jorge Viana (PT-AC), José Pimentel (PT-CE), Lindbergh Farias (PT-RJ), Paulo Rocha (PT-PA), Regina Sousa (PT-PI), Paulo Paim (PT-RS), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Roberto Requião (PMDB-PR). O líder do PT na Câmara, Deputado Afonso Florence (BA), também assinou a representação.

    Um dos signatários, Paulo Rocha (PT-PA), falou com exclusividade à Sputnik sobre a motivação dos parlamentares de oposição ao representar contra os ministros responsáveis pela chefia da Casa Civil e da Advocacia-Geral da União:

    "Nós tomamos esta iniciativa porque, a partir do momento em que um ministro deixa o cargo e faz acusações seríssimas contra o Governo ao qual serviu, corroboramos a impressão que tínhamos desde que teve início a articulação do golpe que levou à destituição da Presidente Dilma Rousseff", afirmou o senador petista.

    "Para o governo atual, não há qualquer interesse em que a Operação Lava Jato vá adiante", diz Paulo Rocha. "Só que nós queremos saber as verdadeiras razões deste temor. Provocamos o Ministério Público Federal para que ele se manifeste sobre as declarações do ex-Ministro Fábio Medina Osório e investigue, particularmente, os Ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Grace Mendonça, da Advocacia-Geral da União. Entendemos que eles devem ser responsabilizados por uma possível contenção da Operação Lava Jato. Queremos também que todos sejam investigados, e não apenas o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e parlamentares da base aliada da  Presidente Dilma Rousseff, como vem acontecendo. A Lava Jato está chegando perto das atuais lideranças do Governo de Michel Temer, e por isso a operação deve prosseguir."

    Na segunda-feira, 12, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, negou qualquer intenção de barrar a Operação Lava Jato. Ele disse que nada há por parte do Governo neste sentido. Nesta quarta-feira, 14, ao ser empossada na Advocacia-Geral da União, a Ministra Grace Mendonça referendou as palavras de Padilha, afirmando que a Operação Lava Jato tem de prosseguir e não sofrerá qualquer pressão por parte do Governo.

    Mais:

    Lava Jato: quem ganha com os vazamentos?
    Guerra STF x MPF: é o começo do fim da Lava Jato?
    Tags:
    investigação, golpe, Operação Lava Jato, Veja, Procuradoria-Geral da república, PMDB, Rede, PCdoB, PT, Eliseu Padilha, Paulo Rocha, Afonso Florence, Lindbergh Farias, Jorge Viana, Gleisi Hoffman, Humberto Costa, Fábio Medina Osório, Lula, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik