15:34 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares que farão segurança nos Jogos Olímpicos na Rio 2016
    Marcelo Camargo/ Agência Brasil

    Rio 2016: Especialistas em energia nuclear caçam ‘bombas sujas’

    Notícias
    URL curta
    Ameaças terroristas na Rio 2016 (22)
    351
    Nos siga no

    A CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear destacou cerca de 300 agentes para atuar na prevenção, identificação e pronta resposta a situações de emergência ou de potencial risco nuclear e radiológico em locais de competições e treinamentos das Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio 2016.

    Segundo informações da CNEN, "entre as atividades de capacitação, a Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear treinou equipes com profissionais do Departamento de Energia dos Estados Unidos". Em 4 de abril, o presidente da CNEN, engenheiro Renato Cotta, assinou um Plano de Ação Conjunta com o diretor de Segurança Nuclear da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Khammar Mrabit. Iniciativas idênticas tinham sido firmadas entre a CNEN e a AIEA para os grandes eventos esportivos anteriores realizados no Brasil.

    Sobre o trabalho efetivo da Comissão Nacional de Energia Nuclear relacionado às competições esportivas deste ano, Sputnik Brasil conversou com Lilia Belém, coordenadora das Atividades de Segurança da CNEN para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Ela detalhou como serão as atividades da Comissão e revelou quais são as principais preocupações da CNEN para a segurança dos eventos relacionados às Olimpíadas e Paralimpíadas.

    "A Comissão Nacional de Energia Nuclear atua nas atividades de segurança radiológica e nuclear na prevenção de atos de terrorismo utilizando material radiativo ou nuclear desde os Jogos Panamericanos de 2007", explica a especialista. "Nós seguimos as orientações emitidas pela Agência Internacional de Energia Atômica após os atentados terroristas de 2001 nos Estados Unidos. Além disso, após o Panamericano de 2007, a CNEN participou das atividades de segurança da Rio+20, da Jornada Mundial da Juventude, da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. Agora nos Jogos Olímpicos, a CNEN terá equipes portando equipamentos de alta tecnologia, iguais aos utilizados na segurança dos grandes eventos no mundo, para prevenir ataques terroristas."

    Lilia Belém explica ainda que a CNEN trabalha em cooperação com diversos órgãos de segurança de vários Ministérios.

    "Com a Força Nacional de Segurança Pública, nós trabalhamos no controle do acesso às instalações; com as Forças Armadas nós atuamos na defesa química, biológica, radiológica e nuclear; nas vistorias, nós atuamos com a Polícia Federal e até com o Corpo de Bombeiros, no caso de produtos perigosos."

    Exercício anti-terrorismo de forças especiais brasileiras
    Gilberto Alves/Ministerio da Defesa

    A coordenadora das Atividades de Segurança da CNEN para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 acrescenta que a Comissão atua junto com a Polícia Federal, por exemplo, para a prevenção de "bombas sujas", artefatos que utilizam explosivos associados a materiais radiativos.

    "Atuamos no caso de suspeita de produtos perigosos, em conjunto com uma equipe especializada do Corpo de Bombeiros e também com as equipes de defesa química, biológica, radiológica e nuclear, que são equipes especializadas das Forças Armadas. Além do que já mencionei, com a Força Nacional de Segurança Pública, que vai atuar no controle do acesso às instalações."

    Tema:
    Ameaças terroristas na Rio 2016 (22)

    Mais:

    Segurança Rio 2016: Começa monitoramento em tempo real de voos nos aeroportos
    1,2 mil agentes farão segurança em aeroporto do Rio a partir da próxima semana
    Tags:
    Jogos Paralímpicos, Jogos Rio 2016, Jogos Olímpicos, segurança, Cnen, Forças Armadas do Brasil, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar