23:22 17 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Notícias
    URL curta
    010
    Nos siga no

    O governo argentino anunciou que vai tornar público parte dos documentos relacionados a ações ocorridas entre 1978 e 1982, período da ditadura militar, de 1976 a 1983. O anúncio foi feito pelo vice-ministro do Exterior, Carlos Foradori, graças a um acordo firmado com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

    No total, serão divulgados 74 relatórios com denúncias de sequestros, assassinatos, prisões ilegais, fechamento de órgãos de imprensa, censura entre outros crimes praticados durante o regime militar, em especial no período do presidente Jorge Rafael Videla, chefe da Junta Militar que governou o país. Cada um desses documentos será analisado e digitalizado pela Unesco e será enviado à Secretaria de Direitos Humanos e à Justiça argentina.

    O secretário de Direitos Humanos, Claudio Avruj, classificou a abertura dos documentos como um "passo importante para a recuperação da memória e a reparação da verdade e da justiça, que são agora uma política de Estado". Toda a documentação ficará aberta a consulta dos parentes dos desaparecidos e da Justiça.

    Mais:

    Vaticano anuncia abertura dos arquivos secretos sobre a ditadura na Argentina
    EUA abrem arquivos secretos do envolvimento americano na ditadura militar argentina
    Tags:
    Argentina, UNESCO, tortura, documentos secretos, ditadura militar, prisões, crimes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar