17:35 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Paulo Skaf e Michel Temer
    Foto: FIESP

    Temer ouve empresários para formar Ministério: momento certo ou precipitado?

    Notícias
    URL curta
    707

    Toda a mídia vem dando amplo destaque ao fato de o Vice-Presidente Michel Temer estar articulando a montagem do seu Ministério, já contando com a deposição da Presidenta Dilma Rousseff pelo Senado Federal, no julgamento do seu processo de impeachment.

    Formulado pelos juristas Miguel Reale Jr., Hélio Bicudo e Janaína Paschoal, o pedido de impeachment foi acolhido na Câmara dos Deputados por 367 votos contra 137, 7 abstenções e 2 ausências. A votação aconteceu no domingo, 17.

    Desde então, são numerosas as visitas de políticos a Temer, assim como de empresários, notadamente os ligados à FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), com destaque para o presidente da entidade, Paulo Skaf.

    Sputnik Brasil ouviu parlamentares a favor e contra o Governo, sobre as articulações do vice-presidente. Para o Deputado Federal Vicente Cândido (PT-SP), “Michel Temer está cometendo uma grande deselegância com a Presidenta Dilma Rousseff, esquecendo que ainda há várias fases rituais no Senado Federal até o possível julgamento da presidente. Essas articulações fazem parte do golpe”.

    Senado Federal elege nesta segunda-feira, 25, os integrantes da comissão especial que vai analisar as acusações contra a Presidenta Dilma Rousseff
    Jefferson Rudy/Agência Senado

    Já o Deputado Nílson Leitão (PSDB-MT) sustenta que “o momento exige muita cautela, principalmente por parte dos partidos de oposição. Mesmo sabendo que a presidente da República responde a processo de impeachment por crime de responsabilidade, os oposicionistas devem agir com muito tato e sem precipitação”.

    O petista Vicente Cândido condena as ações de Michel Temer, e comenta que o vice-presidente “está muito sintonizado com os promotores do golpe, que são os empresários, sobretudo de São Paulo, que financiaram tudo isso, que financiaram o processo de impeachment, as mobilizações”.

    O deputado por São Paulo diz ainda que o discurso de Michel Temer o faz assumir o compromisso de que não mexerá na carga tributária.

    “Isso mostra que o Brasil continuará sendo um país muito injusto nessa matéria, na distribuição de renda e sobretudo na tributação, que é muito injusta e deveria ser revista, tributando quem tem renda e quem tem patrimônio e liberando tributos para os assalariados e sobretudo para a classe média. Isso mostra uma posição conservadora dos empresários e muito pequena do vice-presidente, assumindo compromissos dessa natureza em um país que tributa mal e injustamente”, conclui Vicente Cândido.

    Por sua vez, o Deputado Nílson Leitão (PSDB-MT) lembra que “ainda existe um processo para terminar com o impeachment e ter de fato um novo presidente no Brasil, que seria, no caso, Michel Temer, na posição de vice”.

    “Eu acho que ele [Temer] está fazendo exatamente os movimentos que qualquer um que tivesse a expectativa de assumir faria, de tentar conversar com todos os setores, com aqueles que buscaram o impeachment mas, principalmente, com os setores que precisam, que desejam ver o Brasil melhor”, acrescenta Nílson Leitão. “E é isso que ele tem feito, com empresários, com setores da área jurídica, da área empresarial. Isso faz, de fato, uma diferença de entender que o Brasil precisa de socorro e Michel Temer terá que ter essa sensibilidade e perceber que assumir o país nesse momento é assumir um país que está totalmente fragilizado, sem crédito, com a população com uma falta de esperança enorme.”

    Mais:

    Nicolás Maduro: Impeachment de Dilma é golpe parlamentar
    PT pede apoio a organizações sociais, sindicais e estudantis contra o impeachment
    Tags:
    não vai ter golpe, golpe de Estado, impeachment, mobilização, Fiesp, PSDB, PT, Vicente Cândido, Janaína Paschoal, Hélio Bicudo, Nilson Leitão, Paulo Skaf, Michel Temer, Brasília, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik