19:02 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio

    Senado aprova repatriação de recursos não declarados mantidos no exterior

    Notícias
    URL curta
    231
    Nos siga no

    Embora com ressalvas para alguns itens do projeto, os senadores aprovaram a repatriação de recursos de bens de brasileiros no exterior não declarados à Receita Federal. A proposta é uma das prioridades do Executivo para tentar equilibrar as finanças públicas do país.

    De acordo com o projeto, a regularização dos bens no exterior se dará mediante o pagamento de 15% de imposto de renda e de 15% de multa. Valores disponíveis em contas no exterior até o limite de R$ 10 mil por pessoa, convertidos em dólar, estarão isentos da multa.

    Os valores consolidados serão convertidos em dólar e depois convertidos em real pela cotação de 31 de dezembro de 2014, de R$ 2,65.

    Ao aderir ao programa voluntário, o interessado por um prazo de 7 meses  não responderá pelos crimes de evasão de divisas e sonegação fiscal.

    O projeto foi uma iniciativa do Senado, mas acabou encaminhado pelo Governo diretamente para a Câmara, e as mudanças feitas pelos deputados foram criticadas pelos senadores. Com as alterações feitas pelos deputados de redução do valor da multa e do imposto, e de destinar os recursos para os Fundos de Participação dos Estados e Munícipios, a Câmara anistiou diversos crimes, a exemplo da lavagem de dinheiro.

    De acordo com o relator do projeto, Senador Walter Pinheiro (PT-BA), para recuperar a proposta ele teve que fazer mudanças de redação para possibilitar 14 vetos, como, por exemplo, o que livrava a punição para declaração falsa sobre a origem dos bens e o que impedia o Ministério Público de investigar irregularidades.

    “O que a gente buscou foi limpar essas coisas que podem dar margem a um favorecimento, podem dar margem a anistias muito largas”, explica Walter Pinheiro. “Nós sugerimos ao Palácio do Planalto que analisasse mais ou menos algo em torno de 14 proposituras de vetos.”

    Já o líder do PSDB, Senador Cássio Cunha Lima (PB), teme que a aprovação do projeto legalize recursos ilícitos, como os do tráfico de drogas e até de corrupção.

    “Enquanto o cidadão comum paga 27,5% de imposto de renda, quem cometeu crimes poderá pagar 15% de imposto e 15% de multa, totalizando 30%, e vai ficar por isso mesmo, com tudo regularizado.”

    A expectativa do Governo é de arrecadar entre R$ 100 bilhões e R$ 150 bilhões com a repatriação de ativos no exterior. O montante arrecadado será destinado ao Tesouro Nacional para repasse posterior a Estados e municípios, para o fundo de desenvolvimento regional e de compensação pelas perdas com a unificação do ICMS.

    Mais:

    Câmara cria polêmica para aprovar repatriação de recursos de brasileiros no exterior
    Tags:
    repatriação de ativos, divisas, evasão, multa, sonegação fiscal, imposto de renda, Câmara Federal, Senado Federal, Walter Pinheiro, Cássio Cunha Lima, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar