07:19 24 Março 2017
Ouvir Rádio
    Equipe de combate à propagação do ebola na Libéria

    Países africanos querem um 'Plano Marshall' para se recuperar do ebola

    © AP Photo/ Abbas Dulleh
    Notícias
    URL curta
    0 11111

    Os três países africanos mais afetados pelo ebola pediram hoje à comunidade internacional o lançamento de uma espécie de ‘Plano Marshall’ para ajudar a recuperar suas economias e acabar de vez com as possibilidades de propagação do vírus.

    O apelo feito por Libéria, Serra Leoa e Guiné durante uma conferência realizada em Bruxelas deve estar no centro das próximas discussões internacionais sobre o ebola, que serão realizadas entre os dias 16 e 18 de abril, em sessões do Banco Mundial e do FMI, e em junho, em um encontro das Nações Unidas. 

    “O impacto do ebola sobre nossas economias foi profundo”, declarou a presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, acrescentando que a recuperação dos países da África Ocidental exigirá recursos significativos, no modelo de um plano semelhante ao Marshall, lançado pelos Estados Unidos para ajudar na reconstrução da Europa Ocidental após a Segunda Guerra Mundial. “Nós precisamos de um cancelamento das dívidas e de um ‘Plano Marshall’, pois é como se tivéssemos acabado de sair de uma guerra”, completou Alpha Condé, atual chefe de Estado da Guiné. 

    Dos 5,1 bilhões de dólares prometidos para combater o surto da doença, já foram desembolsados 2,4 bilhões. Segundo Claus Haugaard Sorensen, chefe do serviço europeu de ajuda humanitária Echo, "a UE não se opõe a elevar o apoio, mas antes é necessário pagar o que foi prometido". 


    Tags:
    ebola, economia, Segunda Guerra Mundial, Echo, Banco Mundial, União Europeia, FMI, ONU, Claus Haugaard Sorensen, Alpha Condé, Ellen Johnson Sirleaf, Guiné, Serra Leoa, Libéria, Bruxelas, África, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik