Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo e candidato à presidência do Brasil pelo PT

'A Venezuela não vive um clima de normalidade', diz Fernando Haddad no Jornal da Globo

© REUTERS / Rodolfo Buhrer
Notícias
URL curta
332

No início da madrugada desta quinta-feira (20), Fernando Haddad, candidato à Presidência da República pelo PT, participou de entrevista na Rede Globo como parte de uma série de conversas com presidenciáveis promovidas durante o Jornal da Globo. A Sputnik Brasil fez a cobertura ao vivo da entrevista.

Fernando Haddad é professor universitário, foi prefeito da cidade de São Paulo entre 2013 e 2016 e também ministro da Educação entre 2005 e 2012 entre os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Ele assumiu como postulante à Presidência da República pelo PT a partir do indeferimento da candidatura de Lula. Desde então, cresceu em todas as pesquisas divulgadas e já disputa vaga no segundo turno das eleições.

O Jornal da Globo já realizou duas entrevistas nesta semana. A primeira delas com Ciro Gomes (PDT), na segunda-feira (17), e no dia seguinte com Geraldo Alckmin (PSDB). A última candidata entrevistada será Marina Silva (Rede), cuja entrevista está marcada para a sexta-feira (21).

As entrevistas têm duração de 30 minutos e são realizadas pela âncora do telejornal noturno da Rede Globo, Renata Lo Prete. A cobertura ao vivo pode ser acompanhada aqui no site da Sputnik Brasil.

Ordenar as mensagens
  • 01:05

    "A Venezuela não vive um clima de normalidade"

    A última questão da entrevista foi sobre o posicionamento do Partido dos Trabalhadores em relação à Venezuela. A jornalista âncora do Jornal da Globo questionou Haddad sobre a visão do partido a esse respeito. Fernando Haddad afirmou que acredita que "a Venezuela não vive um clima de normalidade" devido às sublevações de grupos no país contra o governo e contra resultados eleitorais.

    Ele tentou manter sua resposta na linha diplomática, afirmando que em termos de relações exteriores o papel do Brasil é se manter neutro e agir para a solução rápida e pacífica de conflitos em países vizinhos como a Venezuela.

  • 01:01

    Haddad volta a afirmar que PT reforçou o Justiça

    Renata Lo Prete interpelou Haddad a respeito de suas afirmações comuns de que o PT reforçou os poderes de instituições como o Ministério Público para o combate à corrupção e que também afirma que a condenação de Lula foi injusta. Ela então o questionou se ele considera todas as condenações a membros do PT como condenações injustas.

    O candidato do PT reafirmou o que têm dito durante a campanha, enaltecendo o papel do PT para o reforço do combate à corrupção. Ele afirmou não conhecer todos os processos diante da citação de condenações como a de João Vaccari Neto e José Dirceu. No entanto, voltou a citar que há sim privilégios relacionados a processos de corrupção contra membros de outros partidos.

  • 00:52

    Haddad reafirma que não dará indulto a Lula

    Durante a semana Fernando Haddad voltou a ser questionado sobre a possibilidade de dar um indulto a Lula e tirá-lo da prisão. O candidato petista afirmou nas entrevistas anteriores que não daria indulto ao presidente. O compromisso foi reafirmado na entrevista no Jornal da Globo.

  • 00:51

    Lula enfraqueceria a presidência de Haddad?

    Renata Lo Prete dissertou sobre a importância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, hoje preso em Curitiba, para o crescimento rápido do nome de Fernando Haddad nas pesquisas de intenção de voto. Ela questionou o candidato Haddad se ele acredita ou não que Lula tem influência direta no crescimento sua candidatura nas pesquisas e também se ele o enfraqueceria, uma vez eleito presidente.

    Haddad afirmou que o PT tem força e Lula não tem poderes mágicos, dizendo que se fosse assim o PT elegeria todos os governadores. Ele ainda se afastou mais da pergunta, afirmando que a militância de sua campanha e do partido tem seus méritos no crescimento.

  • 00:46

    Segurança pública: Haddad critica a Constituição

    Sobre o plano do PT de federalização da segurança pública, que hoje está principalmente à cargo dos estados, Haddad afirmou que é necessário "redistribuir competências". Ao que ele acredita ser necessário em alguns campos a federalização da segurança. Porém, ao lado de uma integração entre para liberar as polícias locais para combater questões urgentes como homicídios e feminicídios.

    A proposta, segundo ele, fará com que o crime, que foi "nacionalizado", em suas palavras, possa ser combatido de maneira mais efetiva. Ele citou sua experiência como prefeito para justificar as medidas, afirmando que em São Paulo tinha dificuldades pela falta de acesso ao comando da Polícia Militar, responsabilidade do governo do estado.

    Fernando Haddad afirma que a Constituição de 1988 é pouco inovadora neste sentido e que é necessário aprimorar o setor de segurança. Ele ainda argumentou que o crime se nacionalizou e migrou do Sudeste para o Norte e Nordeste diante do crescimento econômico das regiões na última década e meia.

  • 00:39

    Cópia do programa de Ciro Gomes?

    A jornalista do Jornal da Globo questionou se o programa de governo de Fernando Haddad, que inclui um plano para limpar os nomes dos cidadãos endividados, não seria uma forma de minar a proposta de Ciro Gomes (PDT), muito semelhante, e que fez sucesso após ser anunciada.

    Haddad desmente a ideia de que seja uma cópia e afirma que o plano de governo do PT vazou para jornais com antecedência, o que provaria seu ponto.

  • 00:36

    Bancos e sistema financeiro

    Renata Lo Prete dá início à entrevista perguntando ao candidato do PT sobre como irá lidar com a questão bancária e financeira.

    "Temos que valorizar a ação dos bancos que atuam como os bancos estrangeiros, digo no exterior, não no Brasil", afirmou Fernando Haddad em referência às práticas de crédito e de juros bancários. Ele afirma que pretende combater a concentração através de uma reforma bancária, em direção ao aumento da competitividade dentro do setor, o que ele afirma que beneficiaria os clientes.

  • 00:32

    Confira a cobertura da entrevista com Geraldo Alckmin

    Geraldo Alckmin conversa com repórteres

    Alckmin defende reforma da previdência em entrevista à Globo

    Geraldo Alckmin (PSDB) é o segundo candidato à Presidência entrevistado pela jornalista Renata Lo Prette para o Jornal da Globo.
    Mostrar mais

Mais:

Fernando Haddad é anunciado oficialmente como candidato à Presidência pelo PT
PT confirma Fernando Haddad como vice de Lula e fecha aliança com PCdoB
Não sou plano B do PT se Lula não puder concorrer, revela Fernando Haddad
Fernando Haddad é indiciado pela Polícia Federal e responde acusações
Tags:
eleições 2018, Jornal da Globo, MDB, Rede, Rede Globo, PDT, PSDB, PT, Renata Lo Prete, Ciro Gomes, Fernando Haddad, Luiz Inácio Lula da Silva, Marina Silva, Lula, Geraldo Alckmin, Dilma Rousseff, Brasil
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik
  • Comentar