14:47 14 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    333724
    Nos siga no

    Um audacioso partidário da teoria da "Terra plana" morreu a bordo de um foguete logo após o lançamento no deserto da Califórnia, EUA.

    Mike Hughes era um motorista de limusine que fez sucesso após expor sua descrença de que a Terra é redonda.

    Para provar que o nosso planeta é plano, o homem lançou em 2017 um projeto para a construção de um foguete caseiro junto com seu parceiro Waldo Stakes.

    Conforme publicou o tabloide Daily Beast, Hughes veio a falecer ontem (22), logo após o lançamento de seu foguete, movido a vapor, em mais uma de suas tentativas para ver a Terra do alto.

    Após o lançamento, o Departamento de Polícia do condado de San Bernardino, na Califórnia, confirmou a morte de um homem, após a queda de um foguete no deserto, em Barstow, local onde ocorreu o lançamento. 

    No vídeo abaixo é possível ver o lançamento, durante o qual o paraquedas, que seria usado para Hughes descer em segurança, logo se desprendeu do foguete.

    Objetivo

    O americano queria atingir 1.500 metros de altitude, para ter uma melhor visão da Terra.

    Contudo, o objetivo final seria alcançar a linha de Kármán, limite convencionado localizado a 100 km acima da superfície terrestre, noticiou o Daily Star.

    Tentativas

    Ainda em março de 2018, Hughes havia alcançado, também a bordo de um foguete, mais de 500 metros de altitude no deserto de Mojave, nos EUA, antes de descer de paraquedas em uma aterrissagem difícil.

    Em agosto passado, ele tentou subir de novo para atingir os 1.500 metros, mas uma falha técnica lhe impediu o sucesso.

    Mais:

    Astrônomos encontram planeta 'bebê' mais próximo da Terra
    China leva rivalidade com Estados Unidos para outro planeta
    Melhores planetas para vida alienígena são revelados por cientistas
    Tags:
    limusine, EUA, deserto, Califórnia, paraquedas, falha, morte, foguete, Mike Hughes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar