12:55 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Tubarão

    Mergulhador atacado por tubarão é salvo todo ensanguentado (IMAGENS FORTES)

    © Sputnik / Sergei Guneev
    Mundo insólito
    URL curta
    125

    Imagens do resgate de um mergulhador gravemente ferido perto da costa de Miami, na Flórida, surgiram nas redes sociais. Trata-se de ataque de tubarão.

    O vídeo, publicado no Instagram pela página Hot Shot Charters, mostra o momento em que a vítima do tubarão sobe ao barco de pesca. Dá para ver que o homem foi mordido nas costas e está sangrando.

    A legenda do vídeo diz: "Hot Shot salva o mergulhador depois de ele ter sido atacado por tubarão."

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Hot _Shot_Charters (@hot_shot_charters)

    A segunda publicação revela que o resgate aconteceu em Key Biscayne, cidade insular em Miami-Dade County, Flórida.

    A ambulância levou o homem, de 40 anos de idade, de Key Biscayne para o hospital Jackson Memorial, na manhã do sábado (3), segundo a mídia local.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Hot _Shot_Charters (@hot_shot_charters)

    A porta-voz do serviço de resgate de Miami, Erika Benitez, confirmou que o barco transportou o homem para os médicos, que já estavam o esperando.

    Ela disse à agência de notícias Local 10 News que o homem recebeu os ferimentos enquanto pescava.Os seguidores da página Hot Shot Charters no Instagram elogiaram o trabalho dos salva-vidas, escrevendo comentários, tais como, "trabalho perfeito de todos os envolvidos" e "bom trabalho em ajudar a vítima deste ataque de tubarão".

    O vídeo já foi visto 16.000 vezes durante as primeiras nove horas de publicado.

    Mais:

    Perigo a bordo: capitão é mordido por tubarão no próprio barco (VÍDEO)
    Mito quebrado? Youtuber testa olfato de tubarões usando próprio sangue como isca (VÍDEO)
    Pânico em Galápagos: barco pega fogo e turistas pulam em meio a tubarões (VÍDEO)
    Tags:
    Flórida, Miami, EUA, tubarão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar