21:48 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Pôr do sol observado da praia (imagem ilustrativa)

    Esqueleto de enigmático 'monstro marinho' surge em praia da Nova Zelândia (FOTOS)

    CC0 / Pixabay/Free-Photos
    Mundo insólito
    URL curta
    0 10

    Uma moradora da cidade de Christchurch, Nova Zelândia, encontrou no sábado (24) os restos mortais de uma misteriosa criatura marinha arrastada pelas ondas na praia de Canterbury, informa o jornal The New Zealand Herald.

    Segundo relata Hanna Mary, a residente que fez essa descoberta, sua mãe e ela limpavam o lixo deixado na praia por uma tempestade, quando, de repente, notaram algo estranho. No início, ela pensou que era uma folha de plástico, mas quando olhou de novo para a descoberta, percebeu que era algo completamente diferente.

    O esqueleto da criatura enigmática tinha finos membros, uma boca cheia de dentes afiados e barbatanas espinhosas, comunica a moradora.

    Mary confessa que não queria tocar na criatura por medo de ser venenosa, mas decidiu levá-la para casa para mostrá-la a um especialista seu vizinho.

    No entanto, ele não conseguiu determinar a que espécie pertencia o animal, e, portanto, a mulher carregou fotos da criatura em seu perfil no Facebook para ver se alguém era capaz de identificá-la.

    Finalmente, o Dr. Malcolm Francis, do Instituto Nacional de Pesquisas Atmosféricas e Aquáticas da Nova Zelândia (NIWA), determinou que se trata de uma zearaja nasuta, da família das raias, conhecida como patim áspero da Nova Zelândia, porque é muito espinhosa.

    Vale destacar que na Nova Zelândia é frequente animais marinhos darem à costa, enchendo as redes sociais de histórias sobre o surgimento de raras criaturas encontradas nas praias locais.

    Mais:

    'Verme' marinho de 8 metros é descoberto na Nova Zelândia (VÍDEO)
    Píton se esconde dentro de piano na Austrália
    10 tubarões contra 1 jovem: predadores marinhos atacam pescador na Austrália
    Tags:
    praia, espécies, monstro, animais marinhos, criatura, Nova Zelândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik