04:45 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Участницы конкурса Miss BumBum Brazil 2016

    Criador do Miss Bumbum critica 'obsessão' das brasileiras em ter bunda de Kim Kardashian

    © REUTERS / Paulo Whitaker
    Mundo insólito
    URL curta
    383

    O fundador do famoso concurso de beleza brasileiro Miss Bumbum apelou para que as mulheres parem de copiar a realidade norte-americana e a celebridade do Instagram Kim Kardashian, insistindo que escolham looks mais patriotas, escreveu o The Daily Mail.

    Cacau Oliver, criador do concurso mundialmente conhecido das melhores bundas, afirmou que as brasileiras estão "tão obcecadas" por Kardashian que o desejo de ter uma bunda maior é literalmente uma causa "de preocupação nacional", relata o jornal britânico.

    Oliver aconselhou que as mulheres brasileiras mostrem mais patriotismo e tentem escapar de problemas de saúde preservando a sua beleza natural, especialmente a icônica bunda brasileira que tem fama em todo o mundo, parcialmente graças ao concurso Miss Bumbum.

    A competição é realizada no Brasil há oito anos, porém, na edição do ano passado, organizadores alteraram as regras, proibindo participação de candidatas cujos quadris excedem 109 centímetros de diâmetro — o mesmo que tem Kim kardashian.

    Na opinião de Oliver, o chamado efeito de Kim arrisca transformar Brasil em uma nação de "bundas exageradas e sem graça".

    "No que diz respeito à estética da bunda, ela [Kim Kardashian] se tornou a única referência no Brasil. Cada mulher quer que sua bunda seja exatamente como a dela, é quase uma obsessão", declarou o fundador do concurso.

    Seguindo a tendência alarmante, mulheres no Brasil, mais do que em qualquer outro país, têm aumentado suas bundas cirurgicamente. Anualmente, mais de 64 mil mulheres recorrem a clínicas especializadas para este fim.

    Mais:

    Beleza impecável: Rússia escolhe garota mais linda do país
    Tags:
    crítica, obsessão, Miss Bumbum, concurso de beleza, Kim Kardashian, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar