00:10 22 Junho 2018
Ouvir Rádio
    OVNI (imagem referencial)

    Ex-oficial da inteligência dos EUA: está na hora deixar de lado tabus sobre OVNIs

    © Fotolia / Nikolayn
    Mundo insólito
    URL curta
    924

    O Departamento de Estado dos EUA acaba de desclassificar uma gravação obtida por um avião de combate Boeing F/A-18 Super Hornet onde aparece um objeto voador não identificado voando em alta velocidade.

    O vídeo, publicado no dia 9 de março pelo portal To the Stars Academy of Arts and Science, foi gravado na costa leste dos EUA em 2015.

    O misterioso objeto foi captado pelos pilotos graças ao avançado radar ATFLIR, baseado em sensores infravermelhos. No vídeo é possível ver um ponto branco movendo-se a grande velocidade.

    Comentado este novo caso desclassificado, Christopher Mellon, ex-vice-secretário da Defesa adjunto para inteligência nas administrações de Bill Clinton e George W. Bush, criticou o silêncio do Pentágono e o Departamento de Defesa sobre o fenômeno OVNI.

    Mellon comenta, em um artigo publicado no The Washington Post, que sabe de "inúmeras conversas" de funcionários do Pentágono em que eles classificam esses fenômenos de "incidentes isolados".

    O antigo alto funcionário diz que o seu colega Luis Elizondo, que chefiou um programa de inteligência do Pentágono destinado a estudar o fenômeno dos OVNIs "se demitiu no ano passado para protestar contra a falta de atenção governamental", afirma o especialista.

    O ex-assessor também menciona casos descritos em alguns relatórios resumidos pelos militares do porta-aviões USS Princeton da classe Nimitz, em 2004, cujo radar registrou a descida de aeronaves não identificadas desde alturas atmosféricas "a velocidades supersônicas", parando a alguns metros sobre o oceano. "Os Estados Unidos não têm nada capaz de tais proezas", ressalta Mellon.

    Ele também lembra dois outros casos quando caças F-18 estiveramenvolvidos em uma perseguição de OVNIs que descreveram como aparelhos "brancos com cerca de 13 metros de comprimento".

    Perante este tipo de evidências, o especialista não entende por que o Governo dos EUA não tem tratado o tema com mais empenho. "Se a origem destes aviões é um mistério, também é a paralisia do Governo", lamenta.

    Em seu artigo, Mellon sugere que se estes OVNIs são, na verdade, uma amostra de que "a Rússia, a China ou outra nação está escondendo surpreendentes avanços tecnológicos", os EUA devem estar preparados para enfrentar estes desafios, tal como o fizeram nos anos 50, quando competiam com a URSS na corrida espacial.

    "Está na hora de deixar de lado os tabus em relação a OVNIs e, em troca, ouvir os nossos pilotos e operadores de radar", reclama Mellon.

    Em dezembro de 2017, o Pentágono publicou um vídeo de 2004 em que caças estadunidenses tentam interceptar um OVNI que voa mais rápido do que qualquer avião da Força Aérea dos EUA.

    Mais cedo o Departamento de Defesa dos EUA reconheceu oficialmente a existência em 2007-2012 de um programa para estudar OVNIs e cujo financiamento custou cerca de 22 milhões de dólares.

    Mais:

    Qual será reação de homem na hora de encontro com ETs? Cientistas respondem
    ETs à vista? Bola de fogo não identificada provoca rumores no Peru (VÍDEO)
    Google Mapas capta local de aterrissagem forçada de OVNI nas profundezas da Antártica
    'É um avião militar russo': leitores comentam vídeo do Pentágono sobre OVNI
    Tags:
    inteligência, OVNI, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik