01:29 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Lua de Sangue no céu de Moscou em 15 de junho de 2011

    Brilhante objeto misterioso aparece na transmissão da Superlua (VÍDEO)

    © Sputnik / Aleksandr Vilf
    Mundo insólito
    URL curta
    643

    Caçadores de extraterrestres, que estavam em posição de busca durante a recente Superlua Azul de Sangue, detectaram um objeto misterioso atravessando o céu noturno durante o eclipse lunar.

    Enquanto a maioria dos olhares nos EUA estava direcionada ao raro fenômeno lunar, algumas testemunhas detectaram coisas estranhas acontecendo durante o eclipse, escreve o jornal britânico Daily Express

    Um vídeo, publicado pelo canal UFOmania no YouTube, mostra uma nave espacial passando pela Lua durante a transmissão ao vivo da NASA. A gravação captou um ponto branco se aproximando do astro.

    "Eu acabei de ver um objeto voando a uma velocidade muito alta em direção à parte esquerda da Lua. […] Atrás do objeto havia uma luz pulsando que perecia estar piscando a intervalos regulares", disse uma das testemunhas da anomalia.

    Muitos comentários no vídeo concordam com o autor, afirmando que o objeto de verdade voa muito rapidamente.

    Porém, outros usuários não acreditaram que o misterioso ponto em movimento seja de origem extraterrestre, oferecendo explicações mais lógicas, como um avião.

    "Vocês todos não podem estar falando sério… É apenas um avião da Boeing", diz um dos comentários.

    Em 31 de janeiro, o mundo acompanhou a Superlua única por coincidir três fenômenos: Lua Azul, Lua de Sangue e eclipse lunar. O fenômeno aconteceu pela última vez há 150 anos, em 1866.

    Mais:

    ETs à vista? Bola de fogo não identificada provoca rumores no Peru (VÍDEO)
    'Discos voadores' em céu americano levam internautas a pensar em invasão de OVNIs (FOTOS)
    Primeira vez em 150 anos: Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue em uma mesma noite
    Tags:
    objeto suspeito, Superlua, eclipse, extraterrestre, OVNI, NASA, Reino Unido, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar