03:44 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Moça com iPhone

    Ela não é de verdade: jovens dinamarquesas viram modelos de pornô sem saber

    © Foto / Pixabay
    Mundo insólito
    URL curta
    257
    Nos siga no

    Em todo o globo, dinamarqueses são conhecidos como pessoas risonhas, vibrantes, a favor dos prazeres terrenos e extremamente honestas e abertas no que se trata da sua vida sexual. Porém, toda medalha tem dois lados. Recentemente, cada vez mais mulheres da Dinamarca são vítimas de uma nova mania on-line.

    Nos últimos tempos, muitas dinamarquesas se tornaram modelos de pornô sem saber em fotos obscenas de mulheres denominadas "amigas" e "colegas", que aparecem em sites para adultos.

    Para transformar discretas cidadãs dinamarquesas em modelos de pornô mundanas você precisa apenas de suas fotos, de imagens de corpos anônimos em posições pornográficas e de um editor inescrupuloso, comunicou a emissora Danish Rádio, referindo-se ao aumento marcante do "pornô falso".

    Imagens de mulheres completamente vestidas são copiadas das contas nas redes sociais para transformá-las em algo que parece com filmes de pornografia intensa.

    Na maioria dos casos, as vítimas não sabem quem está por trás das edições e temem que as imagens difamantes se espalhem descontroladamente, sem que os internautas identifiquem a falsificação.

    As imagens artificiais não passam de uma colagem, onde há o rosto da vítima e o corpo de modelos profissionais de pornô, completamente nuas e em posições constrangedoras.

    Maiken Lindhardt, de 22 anos, é uma das vítimas das edições fotográficas.

    "Eu sei que não sou eu. Mas os outros, que viram as imagens, podem acreditar que era eu", disse a moça durante transmissão do programa da Danish Radio.

    Entretanto, os autores do crime não ficam contentes em apenas postar as imagens falsificadas. Eles incentivam outros usuários a contatarem as vítimas com propostas indecentes que podem levar a um assedio desenfreado.

    De acordo com a emissora, ser involuntariamente transformada em um modelo de pornô e rotulada como prostituta pode acarretar consequências psicológicas seríssimas para as vítimas, inclusive um transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

    O problema maior está ligado ao fato de ser impossível esquecer tal trauma, pois as fotos falsificadas nunca serão eliminadas e continuarão circulando na Internet. Além disso, isto pode também prejudicar a vida profissional das vítimas, caso o empregador resolva fazer uma pesquisa on-line.

    Tentando amenizar a situação dificílima, a Danish Radio criou uma linha direta que registra depoimentos anônimos que serão utilizados para resolver os casos.

    Na Dinamarca, 17% dos homens e 13% das mulheres entre 15 e 25 anos de idade alguma vez na vida passaram por alguma situação embaraçosa envolvendo fotos nuas e compartilhamentos das mesmas na Internet, segundo estatística governamental.

    Esta porcentagem deplorável foi comentada pelo premiê dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, que publicou um post no Facebook, dizendo que "as almas das vítimas permanecerão amedrontadas para o resto das suas vidas".

    Na semana passada, a Dinamarca apresentou uma série de medidas para restringir o chamado "pornô vingativo" que inclui compartilhamento de imagens explícitas dos internautas sem sua aprovação. Acima de tudo, a penalidade foi aumentada de 6 meses para 2 anos de prisão.

    Mais:

    iPhone 8 não será lançado: Apple prepara celular absolutamente novo
    Cientistas criaram nova forma de vida – semissintética
    WhatsApp agora permite escrever mensagens sem conexão à rede
    Tags:
    falsificação, manipulação, fotos, pornô, redes sociais, Dinamarca
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar