09:53 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 120
    Nos siga no

    A praga de gafanhotos que tem assolado durante as últimas semanas vários países do Médio Oriente e Ásia, tais como Líbano, Irã e Paquistão, já chegou à Índia causando imensa devastação.

    A invasão destes insetos, que alcançou o estado central indiano de Madhya Pradesh, é considerada o pior de tais acontecimentos nos últimos 27 anos.

    Enquanto a Índia tenta lidar com o aumento de número de casos de COVID-19, o impacto econômico causado pelo confinamento, a onda de calor no norte e um ciclone muito forte no oeste do país, a tudo isso ainda se junta a pior praga de gafanhotos em quase 30 anos.

    Próxima na fila em 2020 – a praga de gafanhotos. Pela 1ª vez é registrada na reserva natural Panna Tiger. Está aí um futuro muito preocupante, imagine em que situação estão os agricultores e seus produtos que eles trabalharam tanto para produzir. O mundo conhece a catástrofe que causam estes enxames de gafanhotos.

    ​Enxames de gafanhotos atacam campo de repolho em Mhow, Madhya Pradesh. Em poucos minutos eles acabaram com a safra inteira em 4 bigha de terra.

    A primeira invasão foi registrada ainda em dezembro de 2019 e janeiro deste ano, mas os cientistas pensam que, devido a temporada prolongada de monções e alterações climáticas, os padrões de reprodução dos gafanhotos mudaram resultando em novos ataques.

    Os insetos destruíram colheitas trazendo miséria para os agricultores que já estavam em estresse por causa do confinamento. Supõe-se que os gafanhotos irão se deslocar para o norte do país.

    Mais:

    China envia 'exército' de 100 mil patos contra praga de gafanhotos (VÍDEO)
    Enorme nuvem de gafanhotos invade por completo vastos terrenos no Quênia (VÍDEO)
    Milhões de gafanhotos 'escurecem' céu próximo de montanha sagrada na África (VÍDEO)
    Tags:
    Oriente Médio, Irã, Paquistão, Índia, invasão, praga, insetos, gafanhoto
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar