04:47 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Edward Snowden, ex-agente da Agência de Segurança Nacional (NSA)

    Snowden: Google e Facebook ficam 'felizes' em ceder os seus dados aos governos

    © Edward Snowden
    Mundo
    URL curta
    2140

    Gigantes da tecnologia, como Google ou Facebook, armazenam grandes quantidades de dados pessoais para seu próprio benefício, mas também estão "felizes em entregar" esses dados aos governos, alertou Edward Snowden.

    Qualquer pessoa pode ter certeza de que "tudo que você fez, tudo que você digitou em sua caixa de pesquisa, tudo que você clicou, tudo que você gostou" está devidamente gravado e armazenado nos enormes bancos de dados da grande tecnologia das corporações, declarou Snowden, ex-funcionário da Agência de Inteligência dos EUA (NSA) durante a Conferência do Grupo de Direitos Abertos do Reino Unido (ORGCON19) em Londres, com o qual falou através de um link de vídeo de Moscou.

    "Suas comunicações, como acontecem em grande parte hoje, não acontecem entre você e a pessoa com quem você está falando. Eles acontecem entre você e o Facebook, que então fornece uma cópia para a pessoa com quem você está falando, ou para você e o Gmail, que então envia uma cópia para a pessoa com quem você está conversando e toda vez que essas transações ocorrem prestadores de serviços, eles mantêm um registro disso", revelou.

    As corporações fazem isso principalmente para promover seus próprios interesses financeiros e econômicos, mas procuram não apenas "melhorar sua classe", mas também "melhorar seu estado" e, portanto, estão mais do que felizes em compartilhar os dados obtidos com os governos, que, por sua vez, faz uso disso em seus programas de vigilância em massa, alertou Snowden.

    "Vemos que os governos se preocupam cada vez menos com o cumprimento e se preocupam cada vez mais com o poder", ponderou, acrescentando que as estruturas governamentais de segurança, supostamente criadas para proteger o povo contra a ameaça do terrorismo, são de fato usadas contra praticamente qualquer um, de jornalistas e dissidentes críticos a imigrantes e minorias.

    Edward Snowden em videoconferência de Moscou
    © AP Photo / Marco Garcia
    Edward Snowden em videoconferência de Moscou

    As corporações, que agora controlam virtualmente a maior parte das comunicações pela Internet, há muito abusam de sua posição de poder, forçando as pessoas a se relacionarem, algo que nunca "consentiria de forma significativa", embora permaneça em grande parte inexplicável, prosseguiu Snowden.

    "A lei simplesmente não alcançou o fato de que uma corporação tecnológica agora pode firmar populações inteiras em servidão ao bem corporativo, ao invés de ao bem individual ou público", explicou.

    As advertências do ex-funcionário da NSA vieram logo depois que o Facebook concordou em fornecer dados às autoridades francesas sobre suspeitos de discurso de ódio. Anteriormente, o advogado da gigante de tecnologia declarou abertamente que os usuários da rede social não têm privacidade alguma quando se trata de seus dados pessoais.

    No entanto, o denunciante acrescentou uma porção de otimismo ao seu discurso de outra forma sombrio, dizendo que as pessoas estão acordando para esta situação e "que as coisas vão melhorar" por causa dos esforços de pessoas que não são indiferentes a esta questão.

    Snowden vive em um exílio auto-imposto na Rússia desde que expôs a vasta rede de vigilância da NSA em 2013, trazendo à luz informações sobre as atividades de vigilância em massa da agência de segurança americana que visam milhões de americanos e líderes estrangeiros. Ele foi acusado de espionagem por Washington e enfrenta a prisão se voltar para casa.

    Mais:

    Snowden revela como inteligência dos EUA espia usuários de criptomoedas
    EUA declaram guerra ao jornalismo: Snowden comenta novas acusações contra Assange
    Arquivos vazados de Snowden: EUA teriam ajudado Israel a pôr Hezbollah na mira de assassinato?
    Tags:
    tecnologia, cibersegurança, Edward Snowden, espionagem, Facebook, Google, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar