08:25 22 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Funcionário do setor petrolífero iraniano vai de bicicleta  perto da refinaria petrolífera no sul de Teerã, Irã

    Mídia indica como Moscou está tirando vantagem das sanções americanas contra Irã

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Mundo
    URL curta
    3230

    A Rússia conseguiu tirar vantagem das sanções americanas contra o Irã, escreveu o jornal The Wall Street Journal.

    O artigo sublinha que Moscou conquistou os clientes que foram afastados de Teerã após a introdução de sanções americanas contar o Irã, aumentando assim sua exportação de petróleo. Os dois países produzem tipos semelhantes de petróleo bruto, fazendo com que a transição seja relativamente fácil para os refinadores, acrescenta o jornal.

    Moscou ajuda Teerã a enfrentar as restrições, comprando o petróleo iraniano para consumo interno, enquanto exporta o seu próprio petróleo, em primeiro lugar para a Europa.

    A mídia destaca também que a Rússia vai adquirir petróleo iraniano por permuta, pagando com equipamento industrial e produtos alimentícios.

    Moscou está produzindo valores recordes de petróleo nos últimos 30 anos, ocupando o primeiro lugar nesta área, aponta a mídia. Neste outubro, o país extraiu 11,41 milhões de barris por dia, 4,3% mais frente ao período homônimo de 2017.

    Ajudando o Irã, a Rússia está substituindo este país no mercado internacional de petróleo, escreve o The Wall Street Journal. Moscou já conseguiu compensar a redução das exportações iranianas de combustíveis para a Turquia, China e Coreia do Sul.

    Sanções contra o Irã

    Este 5 de novembro, entraram em vigor as sanções reintroduzidas pelos EUA contra Teerã que existiram antes da assinatura do Plano de Ação Conjunto Global, conhecido também como acordo nuclear iraniano. Donald Trump criticou o Plano em várias ocasiões e, em maio, anunciou a saída unilateral dos Estados Unidos do acordo, acusando o Irã de enriquecer urânio e desenvolver armas proibidas e declarando a reintrodução de sanções contra o irã.

    O primeiro pacote de restrições entrou em vigor no dia 7 de agosto. As novas sanções afetam em primeiro lugar o setor petrolífero iraniano, cujas exportações as autoridades americanas prometeram "reduzir a zero".

    Anteriormente, a mídia informou que, após as sanções entrarem em vigor, a Rússia iria comprar o petróleo do irã e vender como se fosse seu.

    Mais:

    Trump: Isenções a sanções contra o Irã ajudam a controlar preço do petróleo
    'Temos guerra econômica entre EUA e Irã': especialista comenta últimas sanções
    Tags:
    premuta, energia, exportação, petróleo, sanções, Wall Street Journal, Donald Trump, Turquia, Coreia do Sul, Irã, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik