14:09 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Aviso sobre malware na tela de um smartphone

    Mídia adverte sobre nova 'arma cibernética russa' impossível de ser combatida

    © Fotolia / Georgejmclittle
    Mundo
    URL curta
    559

    Os serviços de inteligência russos teriam desenvolvido secretamente um novo malware impossível de deletar do computador, escreve o portal de notícias estadunidense Daily Beast, citando um relatório da empresa de segurança Eset.

    A edição afirma que o vírus teria sido criado pelo grupo de hackers conhecido como Fancy Bear, alegadamente ligado à inteligência russa.

    Os "hackers russos" teriam desenvolvido o novo malware com base no código de outro programa maligno criado em 2015 pelo grupo Hacking Team, escreve o Daily Beast. Assim, o Fancy Bear teria emprestado o desenvolvimento e depois eles aperfeiçoaram o código.

    Segundo o portal, os primeiros sinais do vírus foram detectados em março no aplicativo Absolute LoJack, que permite aos donos de computadores portáteis localizar os dispositivos roubados e apagar remotamente informações pessoais do computador. Os hackers teriam copiado o processo de background do aplicativo, que mantém contato com os servidores do Absolute LoJack, e fizeram com que ele enviasse informações para o seu servidor.

    O alegado programa tem o nome de LoJax e reescreve o código do chip UEFI que visa preservar o acesso ao computador em caso de alteração do sistema operacional ou de formatação do disco rígido, processos que geralmente ajudam a combater malwares.

    Além disso, sublinha a edição, o código UEFI alterado pelos hackers desempenha um papel de guarda contra o malware. Com cada reinicialização, o chip hackeado verifica se o vírus está presente no disco rígido e se este faltar, reinstala-o.

    Mais:

    Mídia indica 3 tecnologias militares que Rússia 'não venderá sob nenhumas condições'
    Resposta ao Sarmat: como Pentágono pretende fortalecer seu arsenal nuclear?
    Tags:
    inteligência, ataque hacker, hackers, malware, vírus, computador, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik