00:28 22 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Uma área da cidade de Aleppo, na Síria, atacada por militantes, em foto de arquivo

    Moscou: descobertas de gás de cloro na Síria confirmam que terroristas têm armas químicas

    © Sputnik / Mikhail Vosrkesensky
    Mundo
    URL curta
    10221

    O enviado russo para a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) Aleksandr Shulgin, comentou nesta quarta-feira (14) a declaração da embaixadora dos EUA na ONU sobre a prontidão para realizar uma ação militar na Síria.

    "Em algumas capitais, eles [EUA] já mencionaram que pretendem realizar certa 'vingança' pelos ataques químicos. Catalogamos essas ameaças de convocações para levar a cabo uma agressão contra um Estado soberano, em violação de todas as normas do direito internacional", disse o representante da Rússia na OPAQ. 

    De acordo com ele, as ameaças dos EUA de realizar ataques na Síria são inaceitáveis. 

    Na segunda-feira, em uma reunião do Conselho de Segurança da ONU, a embaixadora dos EUA, Nikki Haley, afirmou que Washington está pronta para novas ações na Síria, se for necessário. Ela também disse que os Estados Unidos atacaram a base aérea síria de Shayrat em 2017 porque a administração dos EUA acreditava que a base tinha sido usada para o uso de um ataque químico em 4 de abril de 2017.

    Shulgin argumentou que as descobertas de gás de cloro nos territórios libertados da Síria provam que os terroristas têm agentes tóxicos.

    "Vemos evidências disso na Síria, onde grupos terroristas usam ativamente agentes tóxicos, principalmente por motivos provocativos, para culpar Damasco pelo uso de armas químicas", completou.

    Mais:

    Norte-americanos iniciaram 'seriado' com armas químicas na Síria em 2013, diz analista
    Exército sírio encontra oficina de produção de armas químicas em Ghouta Oriental
    Assad: Ocidente usa alegações sobre armas químicas como pretexto para atacar forças sírias
    Síria não pode usar armas químicas porque não as possui, diz enviado sírio à ONU
    Tags:
    operação militar, armas químicas, gás cloro, Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), EUA, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik