11:46 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

    Trump não descarta ir pessoalmente à inauguração da embaixada dos EUA em Jerusalém

    © REUTERS / Ariel Schalit/Pool
    Mundo
    URL curta
    732

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta segunda-feira (5) que não descarta a possibilidade de ir pessoalmente à abertura da embaixada dos EUA em Jerusalém.

    "Nós queremos construí-la [a embaixada] muito rapidamente", disse Trump em uma reunião com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, na Casa Branca.

    A expectativa é de que a transferência da embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém seja realizada em 14 de maio, coincidindo com o dia do 70º aniversário da formação de Israel.

    Israel classifica Jerusalém como sua capital "indivisível", incluindo seus distritos do leste e do centro histórico. A região é considerada como um epicentro do conflito no Oriente Médio, visto que Israel anexou Jerusalém Oriental em 1967 e os palestinos a consideram a capital do seu futuro Estado. 

    A decisão do presidente dos EUA de transferir a embaixada foi condenada pela maioria dos países muçulmanos, onde as manifestações de protesto foram realizadas e geraram críticas de outros estados e instituições internacionais preocupadas com as perspectivas de paz no Oriente Médio.

    Mais:

    Boneco de soldado do Exército Israelense é 'enforcado' em bairro ortodoxo de Jerusalém
    'Nova agressão': Hamas critica mudança da embaixada dos EUA para Jerusalém em maio
    Liga Árabe condena decisão dos EUA de transferir embaixada para Jerusalém
    Ancara: abertura de embaixada americana em Jerusalém mina a paz
    Tags:
    embaixada, conflito, Donald Trump, Benjamin Netanyahu, Palestina, Oriente Médio, Jerusalém, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik