22:20 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidente Donald Trump assina as suas três primeiras ordens executivas na Casa Branca, em Washington, 23 de janeiro 2017

    Suprema Corte dos EUA autoriza plena aplicação do decreto migratório de Trump

    © AP Photo / Evan Vucci
    Mundo
    URL curta
    8104

    Suprema Corte dos EUA autorizou nesta segunda-feira (4) plena aplicação do decreto de Donald Trump que proíbe viagens de cidadãos de alguns países aos EUA.

    A decisão, anunciada na tarde desta segunda-feira (4), permite que a administração dos EUA suspenda as restrições à ordem executiva adotadas por tribunais inferiores para bloquear parcialmente o decreto. 

    Presidente norte-americano Donald Trump fala com repórteres antes de viajar a Bedminster, New Jersey, da Casa Branca em Washington, Estados Unidos, 29 de setembro de 2017
    © REUTERS / Joshua Roberts
    Em novembro, 16 procuradores estaduais apresentaram contatos com o tribunal para se opor à terceira e mais recente versão da proibição, afirmando que era "inconstitucional".

    "Os esforços contínuos da Administração Trump para discriminar minam as famílias, as instituições e os negócios de Nova York", disse o procurador-geral de Nova York, Eric Schneiderman, acrescentando que continuará a lutar para bloquear o decreto.

    "A proibição de viajar para os Estados Unidos deveria ser muito maior, mais dura e mais específica, mas estupidamente, isso não seria politicamente correto", disse o presidente dos Estados Unidos em meados de setembro.

    A mais recente alteração no projeto de lei prevê a restrição da entrada nos EUA de cidadãos do Irã, Líbia, Somália, Síria, Iêmen e Chade. Cidadãos norte-coreanos e funcionários do governo venezuelano também estão proibidos de entrar nos EUA.

    A decisão de colocar o Chade na lista foi bastante criticada, visto que o Chade é um dos principais parceiros dos EUA na luta contra o grupo terrorista Boko Haram, na África.

    Tags:
    imigração, decreto, Suprema Corte dos EUA, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar