05:13 24 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin fala à então secretária de Estado norte-americano Hillary Clinton na cúpula da APEC, Vladivostok, Rússia, 2012 (foto de arquivo)

    Kremlin se mostra confuso com alegada 'vendeta pessoal' de Putin 'revelada' por Hillary

    © AFP 2017/ MIKHAIL METZEL
    Mundo
    URL curta
    162914014

    O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, rejeitou as declarações da ex-secretária de Estado e ex-candidata à presidência estadunidense, Hillary Clinton, sobre um suposto ajuste de contas pessoal por parte de Vladimir Putin.

    Hillary Clinton escreveu no seu novo livro de memórias "O Que Aconteceu" ("What Happened" em inglês) que Putin supostamente teria uma "vendeta pessoal", ou seja, um desejo de se vingar de algo.

    Peskov negou estas afirmações de Clinton, que perdeu as eleições presidenciais de 2016, contra o magnata norte-americano Donald Trump.

    O representante oficial do Kremlin descartou também que o líder russo planeje ler o novo livro, que saiu à luz em 12 de setembro deste ano.

    Em uma entrevista concedida ao jornal USA Today sobre seu livro, Clinton assegura que a suposta vingança de Putin estará relacionada com a expansão da OTAN na Europa do Leste que ocorreu durante a presidência de Bill Clinton, marido da autora.

    Na sua obra, Hillary culpou pela sua derrota o ex-diretor do FBI, James Comey, que tinha informado o Congresso, poucas semanas antes das eleições, sobre uma planejada reabertura do processo contra a candidata no contexto do escândalo dos e-mails.

    Mais:

    Clinton revela o seu maior erro no caminho para a presidência
    Snowden sabe quem esteve por trás de ciberataque contra Hillary Clinton
    Casa Branca acusa Ucrânia de interferir nas eleições de 2016 para ajudar Hillary Clinton
    Tags:
    vingança, livro, FBI, Hillary Clinton, Vladimir Putin, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik