02:08 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Editora-chefe da agência de notícias Sputnik, Margarita Simonyan

    Editora-chefe da Sputnik: 'Liberdade de expressão foi morta pelos que a criaram'

    © Sputnik/ Iliia Pytalev
    Mundo
    URL curta
    281371250

    A editora-chefe da Sputnik, Margarita Simonyan, comentou a informação sobre o interrogatório de um ex-funcionário da Sputnik pelo FBI, sublinhando que, caso haja uma investigação contra a agência, a Rússia pode fazer o mesmo em resposta.

    Mais cedo, o portal Yahoo News, citando fontes anônimas, informou que o Departamento Federal de Investigação dos EUA tinha interrogado o ex-funcionário da Sputnik, Andrew Feinberg, no âmbito de uma investigação das informações sobre a agência agir alegadamente como órgão de propaganda russa, violando a lei norte-americana sobre agentes estrangeiros.

    Além disso, o portal afirma que o FBI obteve acesso aos e-mails de trabalho da Sputnik de Feinberg e de outro ex-funcionário da delegação da agência em Washington, Joseph John Fionda.

    "Não há nenhuma dúvida que a Rússia vai responder à investigação do FBI do mesmo jeito e começará verificando o trabalho dos jornalistas norte-americanos em Moscou. Isso tudo é mais do que feio. A liberdade de expressão está dando voltas no caixão. Ela foi morta pelos que a criaram", disse Margarita Simonyan à Sputnik.

    O mesmo FBI ainda não respondeu à solicitação oficial quanto à realização ou não de uma investigação contra a agência.

    Mais:

    Editora-chefe da Sputnik diz não entender as 'democráticas' recomendações francesas
    Editora-chefe da Sputnik responde ao parlamentar americano que 'ressuscitou' a KGB
    Tags:
    liberdade de expressão, investigação, interrogatório, FBI, Sputnik, Margarita Simonyan, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik