13:46 17 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    330
    Nos siga no

    Washington e Pequim acordaram em melhorar sua comunicação militar a fim de reduzir as possibilidades de qualquer "erro de cálculo" no meio da crise em torno da Península da Coreia e outros assuntos sensíveis entre ambas as potências.

    O mecanismo de diálogo estratégico foi firmado pelo presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, o general Joseph Dunford, e seu homólogo do Exército de Libertação Popular, o general Fang Fenghui.

    "Para ser honesto, temos muitos problemas complicados nos quais não temos necessariamente as mesmas perspectivas", afirmou Dunford durante a assinatura do acordo bilateral. "Mas […] eu sei que compartilhamos uma coisa: compartilhamos o compromisso de trabalhar para superar estas dificuldades", acrescentou o general estadunidense, segundo o comunicado oficial

    Comunicação direta

    O mecanismo foi projetado para melhorar os processos de mitigação da crise e proporcionar um canal de "comunicação direta" entre os líderes do Pentágono e do Exército chinês, através do qual se pretende "reduzir o risco de erros de cálculo", afirmou a Defesa estadunidense. O acordo prevê também diálogos face a face entre os militares, o primeiro dos quais está agendado para novembro do ano corrente.

    ​"O exército chinês está disposto a empreender esforços com os EUA para fortalecer a comunicação estratégica, aumentar a confiança estratégica mútua, aprofundar a cooperação prática, resolver adequadamente os problemas e disputas, gerir e controlar os riscos de uma maneira efetiva", indicou por sua vez Fang, citado por Reuters

    Tensões entre as potências 

    As tensões em torno da Península da Coreia estão entre os pontos de discussão. A China tem sofrido pressões estadunidenses para que intervenha na questão dos programas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte. Pequim condena a implantação do sistema de defesa antimíssil THAAD na Coreia do Sul.

    Durante a reunião, Fang comentou que ambos os líderes militares discutiram também a situação sobre a Taiwan, uma ilha considerada pela China como parte do seu território, bem como as disputas no mar da China Meridional. O general chinês acrescentou que a cooperação entre as duas forças armadas é a única opção correta para que as tensões entre ambos os países não se tornem uma confrontação militar.  

    Mais:

    Opinião: EUA usam Pyongyang para recordar à China seu lugar
    Tensão: China diz que destróier dos EUA no mar do Sul da China viola soberania
    Como os EUA chantageiam a China
    Tags:
    colaboração, militar, diálogo, Pentágono, Joseph Dunford, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar