10:59 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O Kremlin de Moscou

    Senador russo apela a dar uma resposta 'danosa' às sanções de Washington

    © Sputnik / Aleksei Druzhinin/Anton Denisov
    Mundo
    URL curta
    32301
    Nos siga no

    A Rússia vai preparar uma reação oficial à lei sobre novas sanções de Washington contra Moscou e à situação em torno das propriedades diplomáticas russas; essa reação será "danosa" para os norte-americanos, declarou o senador russo, Konstantin Kosachev.

    O chefe do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo) acredita ser completamente necessário preparar medidas de resposta.

    "É necessário preparar tal reação, porque deve ser tomada de qualquer modo. Não obrigatoriamente uma reação assimétrica, mas danosa para os americanos. [Será uma resposta] tanto à lei [sobre sanções], como a todas as ações anteriores quanto à propriedade, aos diplomatas etc.", escreveu Konstantin Kosachev no Facebook.

    De acordo com ele, é preciso discutir a situação atual com a União Europeia, com quem a Rússia pode ter uma espécie de aliança temporária, dado que as sanções de Washington prejudicam inclusive os interesses econômicos da UE. A lei aprovada demonstrou que não haverá um avanço nas relações russo-americanas, nem normalização, sendo inevitável uma degradação, acredita o senador russo.

    "Após o encontro entre os dois presidentes em Hamburgo, eu expressei com cautela a esperança de que este último poderia vir a se tornar o prenúncio do avanço nas relações entre a Rússia e os EUA. A esperança é a ultima que morre, mas ela morre. Dada a votação por unanimidade quanto às sanções contra a Rússia, Irã e a Coreia do Norte, não haverá nem avanço, nem normalização. Pelo contrário, a degradação da cooperação bilateral se torna inevitável, mesmo já estando em baixa", sublinhou.

    O senador espera também que a Rússia "continue a estabelecer relações com o mundo restante, que é muito mais amplo do que o Ocidente", pois com o Congresso norte-americano de hoje não será possível travar um diálogo, ainda mais porque o presidente Donald Trump não consegue intervir em seu parlamento.

    A Câmara dos Representantes do Congresso norte-americano aprovou o projeto de lei que prevê novas sanções contra a Rússia, o Irã e a Coreia do Norte. Em seguida, o documento deve ser considerado pelo Senado e, caso seja aprovado, será apresentado ao presidente para assinar. As novas sanções poderão ser as mais amplas desde 2014. O Kremlin afirmou que considera o projeto de lei "extremamente negativo", enquanto a UE o chamou de "ações unilaterais dos EUA".

    Mais:

    Especialista: EUA 'vociferam' porque não podem igualar Rússia no Ártico
    Opinião: Rússia já não é a 'única' maior ameaça aos EUA
    Tags:
    resposta, sanções, Conselho da Federação, Konstantin Kosachev, Donald Trump, Vladimir Putin, Coreia do Norte, Irã, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar