00:02 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Situação atual em Donetsk (fevereiro de 2017)

    Forças do leste ucraniano pedem que Kiev pare de cometer 'crimes sangrentos em Donbass'

    © Sputnik / Valery Melnikov
    Mundo
    URL curta
    140

    A autoproclamada República Popular de Donetsk pediu que os militares da Ucrânia interrompam plenamente as hostilidades a partir deste 31 de maio.

    "Peço às unidades das Forças Armadas da Ucrânia um pleno cessar-fogo a partir de hoje, e que a consciência e a responsabilidades de suas ações os detenham de cometer outros crimes sangrentos em Donbass", disse o vice-chefe do comando operacional de Donetsk, Eduard Basurin. 

    Segundo dados da ONU, as hostilidades na Ucrânia provocaram mais de 10.000 mortes desde o início do conflito.

    O governo da Ucrânia lançou uma operação militar em abril de 2014 para reprimir uma revolta que explodiu nas repúblicas de Donetsk e Lugansk após o golpe que derrubou o presidente eleito Viktor Yanukovich, com os rebeldes dessa região se recusando a reconhecer as novas autoridades de Kiev. 

    Em fevereiro de 2015, as duas partes em conflito assinaram um grande acordo em Minsk, na Bielorrússia, que previa uma série de pontos a serem seguidos no processo de pacificação, incluindo, principalmente, um cessar-fogo. Apesar disso, os combates em Donbass continuaram, e se intensificaram novamente no início deste ano, com os dois lados se acusando de uma série de violações. 

     

    Mais:

    Mais de 150 pessoas morreram em Donetsk por conta do conflito ucraniano em 2017
    Presente dos céus: República Popular de Donetsk utiliza 'armas extraterrestres'
    Líder da república na mira? Atentado terrorista atinge Dia da Vitória em Donetsk
    Tags:
    mortes, crimes, conflito, cessar-fogo, Eduard Basurin, Kiev, Donbass, Donetsk, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar