17:40 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Militantes do Talibã no Afeganistão (arquivo de 13 de outubro de 2015)

    Comandante da OTAN diz que Rússia pode estar apoiando o Talibã

    © AFP 2017/ Stringer
    Mundo
    URL curta
    1171831416

    A Rússia poderia estar fornecendo apoio ao Talibã na luta contra as forças dos Estados Unidos e da OTAN no Afeganistão. Pelo menos, é o que acredita o general americano Curtis Scaparrotti, Supremo Comandante Aliado da Organização do Tratado do Atlântico Norte na Europa (SACEUR).

    "Eu tenho visto a influência da Rússia nos últimos tempos, uma influência crescente, em termos de associação e, talvez, até de fornecimentos ao Talibã", declarou Scaparrotti em depoimento ao Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA, sem dar detalhes, segundo a AFP. 

    As tropas da OTAN têm combatido no Afeganistão desde a invasão americana de 2001. Atualmente, a organização mantém cerca de 13 mil homens no país, sob a missão Resolute Support, liderada pelo general John Nicholson, também dos Estados Unidos. 

    Antes de Scaparrotti, o próprio Nicholson já havia sugerido, no mês passado, que Moscou poderia estar encorajando e dando apoio diplomático ao Talibã para minar a influência de Washington na região e derrotar as tropas da OTAN. No entanto, ele não chegou ao ponto de falar em "fornecimento". 

    O atual movimento fundamentalista islâmico do Talibã é herdeiro dos mujahidins armados pela CIA na década de 1980 através da Operação Ciclone, que tinha como objetivo derrotar as forças da então União Soviética presentes no Afeganistão. Nos anos 1990, o grupo se fortaleceu tanto que conseguiu tomar o poder e governar o país de fato até 2001, quando foi derrubado pelos americanos por se recusar a entregar Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda e responsável pelos ataques de 11 de setembro daquele ano, em Nova York.

    Mais:

    Moscou desmente negociações secretas com Talibã
    Piloto russo libertado do cativeiro do Talibã regressa à Rússia
    Afeganistão pediu à Rússia helicópteros Mi-35 de graça para combater Daesh e Talibã
    Tags:
    Operação Ciclone, fundamentalismo, mujahidins, Talibã, CIA, Curtis Scaparrotti, John Nicholson, Osama bin Laden, Europa, Moscou, EUA, Nova York, Rússia, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik