20:25 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Embaixador dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power, faz um discurso durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU sobre a situação na Síria, Nova York, EUA, 25 de setembro de 2016

    'Sanções contra Rússia devem ser mantidas', diz embaixadora dos EUA na ONU

    © AFP 2017/ Bryan R. Smith
    Mundo
    URL curta
    31025

    Samantha Power fez seu último discurso como embaixadora dos EUA na ONU nesta terça-feira (17) e fez acusações contra supostas ações agressivas da Rússia.

    A embaixadora dos EUA na ONU acusou a Rússia de se engajar em "ações agressivas e desestabilizadoras que ameaçam a ordem internacional".

    Segundo ela, as sanções econômicas contra a Rússia devem ser mantidas. 

    Ela citou a intervenção da Rússia na Ucrânia, o apoio ao governo sírio na guerra civil do país e os esforços para influenciar as eleições nas democracias ocidentais para argumentar que "as ações da Rússia não estão levantando uma nova ordem mundial. Estão derrubando a que existe". 

    "Devemos garantir que a Rússia pague um preço por quebrar as regras… Isso também significa manter as sanções contra a Rússia, incluindo aquelas impostas pelo presidente Obama em resposta à interferência da Rússia em nossas eleições", afirmou Power.

    A Rússia têm repetidamente negado qualquer influência tanto sobre as partes do conflito ucraniano, que foi o estopim para a deterioração das relações entre Moscou e o Ocidente, quanto a interferência nas eleições presidenciais norte-americanas, alegando falta de provas dos EUA. 

    Mais:

    CNN: antes da corrida presidencial Trump apoiava sanções contra a Rússia
    'Não haverá regateio': Rússia não vê relação entre desarmamento e cancelamento de sanções
    Trump: sanções conta Rússia podem ser revogadas em troca de acordo de redução nuclear
    Trump pode acabar com sanções se Rússia ajudar na luta contra o terrorismo
    Tags:
    embaixadora, acusação, agressão, sanções econômicas, ONU, Samantha Power, Síria, Ucrânia, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik