17:45 07 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    11411
    Nos siga no

    Rússia possui provas de que alguns países e empresas estrangeiras influentes “estejam cooperando com terroristas”, afirmou o chefe do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev.

    "Continuamos obtendo mais provas sobre a cooperação de alguns Estados e empresas estrangeiras influentes, até transnacionais, com terroristas", disse Patrushev em entrevista concedida ao jornal russo Rossiyskaya Gazeta.

    "Nós levamos em consideração as compras de petróleo e outras matérias-primas dos grupos terroristas, bem como, pagar para os terroristas em troca de permissão para produção e transporte nos territórios controlados [pelos terroristas]", continuou.

    Ele também frisou que "pôr um fim em tal prática deve ser o objetivo de todos os países que lutam contra o terrorismo sem quaisquer exceções".

    Patrushev destacou a cooperação russa com outros países no combate ao terrorismo.

    "Em primeiro lugar, conseguimos intensificar o trabalho no âmbito do Conselho de Segurança da ONU. A Rússia contribuiu para a adoção das resoluções que visam combater o Daesh e outras organizações terroristas e impedem impedem o financiamento do terrorismo", comunicou.

    O oficial também aproveitou a entrevista para comentar a cooperação com o governo Obama:

    "Infelizmente, a administração de Obama falou mais do que cooperou conosco. No final das contas, tal atitude anulou a eficácia da cooperação com os EUA, basicamente. Entretanto, esperamos conseguir reajustar em 2017 os contatos construtivos com os parceiros norte-americanos."

    Mais:

    Chefe da CIA reconhece: EUA contribuíram para a formação do Daesh
    'Histeria derradeira': reação aos que dizem que Rússia não combate o Daesh
    Terroristas do Daesh foram identificados através de WhatsApp na Chechênia
    Tags:
    cooperação, comércio, petróleo, terrorismo, Daesh, Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar