05:54 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Bandeiras da União Europeia e da Turquia

    Ancara diz que União Europeia deve combater PKK ao invés da justiça turca

    © AP Photo / Osman Orsal, File
    Mundo
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, declarou nesta terça-feira (8) que a União Europeia não deve lutar contra a justiça turca, mas contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), proibido na Turquia, e a organização do clérigo Fethullah Gulen (FETO), acusado de orquestrar a tentativa de golpe de Estado em 15 de julho.

    "Lembro que organizações terroristas como o PKK e FETO têm rendimentos de 2 milhões de dólares, pedimos que nossos colegas europeus que apoiam o PKK deixem de lutar contra a justiça turca, é melhor fazer algo para lutar contra os narcotraficantes do PKK que envenenam a sua juventude, que é o seu objetivo principal", disse Yildirim durante discurso aos parlamentares do Partido da Justiça e Desenvolvimento turco.    

    Ele acrescentou que a Turquia espera que a União Europeia tenha uma "voz contra essa organização terrorista que prejudica o seu futuro."

    A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, por sua vez, afirmou que "a União Europeia e os seus países-membros seguem com grande preocupação os últimos acontecimentos na Turquia", citando propostas para restabelecer a pena de morte, a continuidade das restrições à liberdade de imprensa, o fechamento de alguns meios de comunicação e mandados de prisão contra jornalistas, além das recentes detenções de vários parlamentares.

    Após a tentativa fracassada de golpe em 15 de Julho, que deixou mais de 240 mortos e cerca de 2.200 feridos, dezenas de milhares de militares, juízes, funcionários públicos e professores, foram detidos ou suspensos


    Mais:

    Turquia: PKK reivindica assassinatos de funcionários do partido de Erdogan
    PKK derruba caça F-16 da Turquia
    PKK assume autoria de atentado em cidade turca
    Turquia mata 27 militantes curdos do PKK
    Tags:
    justiça, combate, golpe, terroristas, PKK, Federica Mogherini, Fethullah Gulen, Binali Yildirim, Turquia, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar