05:29 17 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Navios de guerra russos abrem fogo durante as celebrações do Dia da Marinha em Sevastopol, Crimeia.

    Empresários alemães pretendem investir mais de 250 milhões de euros na Crimeia

    © Sputnik / Vasiliy Batanov
    Mundo
    URL curta
    7170
    Nos siga no

    Empresários alemães pretendem investir mais de 250 milhões de euros na Crimeia e na cidade de Sebastopol. A informação foi divulgada pelo serviço de imprensa do Governo de Sebastopol.

    "Os empregadores na Alemanha planeja investir mais de 250 milhões de euros em Sevastopol e na Crimeia", diz o comunicado.

    Ponto de controle na fronteira russo-ucraniana Dzhankoy, Crimeia, Rússia (foto de arquivo)
    © Sputnik / Aleksandr Polegenko
    Neste sábado, 24 setembro, funcionários de Sebastopol realizaram uma reunião com empresários alemães que apresentaram seus projetos de reciclagem de lixo, construção de estradas e desenvolvimento da infraestrutura das cidades turísticas.

    O vice-governador da cidade, Dmitri Gladskij, por sua vez, declarou estar disposto a receber estes projetos. De acordo com o comunicado, esta é a primeira fase do investimento, que deverá ser aumentado quando a situação política mundial se estabilizar.

    A Crimeia e a região de Sebastopol (cidade que possui um estatuto especial) foram integradas à Federação da Rússia em março 2014 após um referendo em que 96,77% dos habitantes da Crimeia e 95,6% dos habitantes de Sebastopol votaram a favor da reunificação.

    A diplomacia russa alega que a consulta popular realizada na Crimeia está em plena correspondência com o direito internacional e a Carta da ONU. 


    Mais:

    Beleza intemporal: breve excursão virtual pela Crimeia
    Erdogan promete apoiar presidente ucraniano na questão da Crimeia
    Mogherini: UE não reconhece eleições russas na Crimeia
    Político japonês acusa EUA de pressionarem autoridades da Crimeia
    Tags:
    infraestrutura, empresários, investimento, Rússia, Alemanha, Crimeia, Sebastopol
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar