00:49 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Ártico

    Rússia está se preparando para 'exame' da ONU sobre Ártico

    © flickr.com/ Christopher Michel
    Mundo
    URL curta
    274191

    A Rússia pretende discutir seu pedido revisado de ampliação da sua plataforma continental no Ártico duas vezes por ano na ONU. A primeira sessão vai decorrer entre 8 e 12 de agosto.

    Em fevereiro de 2016, a Rússia apresentou o pedido revisado. O país reclama uma área do fundo marítimo além da zona de 200 milhas marítimas que compõe sua zona econômica exclusiva, incluindo o Polo Norte

    Segundo o ministro russo dos Recursos Naturais e Ambiente, a consideração do pedido levará entre três e cinco anos. 

    "Prevê-se realizar a primeira discussão detalhada do pedido russo. Após esta sessão, acho, vamos ver quais os problemas principais que serão discutidos pela comissão. O regime habitual de avaliação do requerimento é duas vezes por ano. Ninguém ainda sabe quantas sessões haverá. São trabalhos para uns anos", disse o vice-diretor da Geologia do Instituto da Oceanologia russo, Leopold Lobkovsky.

    A delegação russa será composta por representantes do Ministério dos Recursos Naturais e Ambiente, Chancelaria, Ministério da Defesa e Academia de Ciências da Rússia. A comissão da ONU, por sua vez, é composta por sete pessoas de vários países.

    "Se calhar, os membros da comissão já têm conhecimento do nosso pedido e vão fazer perguntas adicionais sobre capítulos concretas do pedido: geomorfologia do Oceano Ártico, dados sísmicos. De acordo com os resultados do trabalho, vão dar-nos uma lista de observações, recomendações que deveremos corrigir até a próxima sessão, que terá lugar em novembro", adicionou o especialista.

    Em 20 de dezembro de 2001, a Rússia enviou um requerimento especial às Nações Unidas propondo estabelecer os limites externos da plataforma continental russa fora da sua ZEE, mas dentro do setor russo do Ártico. O pedido russo foi rejeitado em 2002 devido a alegada ausência de evidências geológicas. Em 4 de agosto de 2015, a Rússia enviou mais uma vez o pedido com novas evidências baseadas em "amplos dados científicos coletados durante anos de pesquisas no Ártico". Esta é a última tentativa da Rússia de alargar seus territórios árticos.

    Mais:

    OTAN pede 'cooperação' e não 'confronto' com a Rússia no Ártico
    Rússia desenvolve sistema de sonar para proteger o Ártico
    Tags:
    ONU, Rússia, Ártico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik