23:49 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Estação de distribuição de gás na Ucrânia

    Ucrânia na torcida para UE impedir a construção da 'Corrente Turca'

    © REUTERS / Gleb Garanich
    Mundo
    URL curta
    1129
    Nos siga no

    A União Europeia, se possuir vontade política, pode impedir a construção do gasoduto Corrente Turca, declarou Andrei Kobolev, presidente da estatal ucraniana Naftogaz, em entrevista transmitida pela emissora local Canal 5.

    "Nem a Turquia, nem a Rússia possuem as tecnologias de construção de gasodutos em águas profundas. Somente as empresas estrangeiras podem fazer isso. Por isso, se desejarem muito, a UE e os países Ocidentais, aplicando sanções, podem parar esse projeto. Tudo depende da vontade política", disse Kobolev, ao comentar as perspectivas da Corrente Turca.

    Ele completou que as tecnologias necessárias para o projeto pertencem a quatro países. O executivo não foi mais específico, mas disse que, se esses países não participarem do projeto, o mesmo não será realizado.

    Kobolev aproveitou para alertar que a construção da Corrente Turca traz riscos para a Ucrânia, pois o trânsito de gás da Rússia por território ucraniano ficaria reduzido.

    Mais:

    No que pode resultar o encontro entre Putin e Erdogan?
    Mídia: aproximação entre Rússia e Turquia ameaça Ocidente
    Rússia e Turquia fazendo as pazes: ministros da Energia se encontrarão este mês
    Projeto de gasoduto Corrente Turca pode ser realizado no futuro mais próximo
    Tags:
    South Stream, gasoduto, gás, Corrente Turca, Naftogaz, Andrei Kobolev, Turquia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar