14:33 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Brexit: reações e consequências (121)
    132
    Nos siga no

    Não é o momento apropriado para que a Irlanda do Norte, integrante do Reino Unido, realize um plebiscito sobre a união com a Irlanda, declarou neste sábado o ministro de Relações Exteriores da Irlanda, Charlie Flanagan.

    “Qualquer outro referendo na Irlanda do Norte causará divisão ainda maior do que a que temos agora e será completamente inútil, em meu ponto de vista”, disse Flanagan, citado pelo jornal The Guardian.

    Um dia antes, o presidente de honra do partido republicano norte-irlandês Sinn Fein, Declan Kearney, disse que o sim ao Brexit obriga a convocação de um referendo sobre a união das Irlandas.

    Flanagan, por sua vez, declarou também acreditar que no futuro a união corresponderá aos interesses do povo, mas “apenas de a maioria dos habitantes da Irlanda no Norte aceitar”.

    Na última quinta-feira, os eleitores britânicos decidiram em referendo que o Reino Unido vai sair da União Europeia, depois de o Brexit — união das palavras Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída, em inglês) — ter conquistado 51,9% dos votos. Com o resultado, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou que deixará o cargo em outubro.

    Tema:
    Brexit: reações e consequências (121)

    Mais:

    Após Brexit, Ryanair vende um milhão de passagens a 10 libras cada
    Diplomata belga vai liderar força-tarefa do Brexit
    Brexit: partido português quer referendo no país
    Tags:
    plebiscito, referendo, Brexit, Charlie Flanagan, Irlanda do Norte, Irlanda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar