09:31 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    170
    Nos siga no

    O líder do Estado Livre Associado de Porto Rico, Alejandro García Padilla, pediu que a Assembleia Geral da ONU voltasse a examinar o tema do direito de Porto Rico à sua livre autodeterminação e independência.

    "Ao partir do direito de autodeterminação do povo porto-riquenho, aqui reclamo a ajuda da Organização para que se defina novamente que é de igualdade e respeito a relação que tem que existir entre Porto Rico e os Estados Unidos da América, assente sobre a vontade de ambos os povos, e não de um sobre o outro", afirmou Alejandro García Padilla.

    O líder da ilha declarou também que as recentes decisões do Governo norte-americano tinham violado o pacto bilateral.

    Homem sem casa porto-riquenho perto duma empresa fechada nos arerdores de São João, Porto Rico, 2 de agosto de 2015
    © AP Photo / Ricardo Arduengo, File
    O governador denunciou as consequências sobre a limitada governação própria da Ilha do projeto 5278, aprovado na Câmara de Representantes dos EUA e que prevê um conselho federal de controle fiscal sobre a Ilha em troca de possíveis processos de reestruturação da dívida pública.

    A medida poderá ir a votação na próxima semana no Senado norte-americano.

    "Para não privar os nossos cidadãos de serviços básicos: em áreas tão essenciais como a saúde, a segurança e a educação, sendo um assunto de vida ou morte para tantos de meus compatriotas, me vi obrigado a apoiar a referida peça legislativa. Não vou submeter o meu país a miséria", disse Padilla.

    Padilla falou perante o Comitê de Descolonização da ONU, que nesta segunda-feira, examina uma resolução a favor do direito de Porto Rico à livre autodeterminação e independência.

    Porto Rico é um Estado livre associado aos EUA e tem uma dívida pública estimada em cerca de 73 bilhões de dólares.

    As autoridades porto-riquenhas pediram ao Congresso dos EUA que lhes permita invocar o Código de Falências federal para reestruturar sua dívida, tal como acontece com outras jurisdições norte-americanas, mas o Congresso foi derrubado por uma junta que teria poderes de supervisão e controle de despesas, bem como de definir prioridades orçamentais do país por cima de seu Governo.

    Mais:

    Porto Rico deixa de pagar dívida e Moody´s declara default
    Sanders: EUA não podem continuar derrubando governos na América Latina
    Tags:
    Porto Rico, Senado, ONU, dívida, crise econômica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar