18:26 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Trabalhadores da EBC protestam contra medidas arbitrárias

    Temer quer diminuir atuação da EBC e fechar Tv Brasil

    Jornalistas Livres
    Mundo
    URL curta
    1866
    Nos siga no

    O presidente em exercício, Michel Temer, pretende diminuir a atuação da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que é controlada pela União. Um projeto de lei que prevê a redução dos custos da empresa deve ser enviado ao Congresso nos próximos dias.

    Junto com isso, está nos planos da equipe de Temer fechar a Tv Brasil, que é responsável por metade dos custos da empresa de comunicação. A agência de notícias, a produção independente de conteúdo, monitoramento de mídia, entre outros ramos da EBC. 

    TV Brasil
    Valter Campanato/Agência Brasil
    A previsão é de que o conselho curador, formado por 22 pessoas que tem maior poder de decisão dentro da empresa, possa ser desmantelado. Com o fim do conselho, o presidente de EBC pode ser destituído a qualquer momento, visto que este grupo precisa dar o aval para uma decisão deste porte. 

    Assim que Michel Temer assumiu a presidência interinamente, exonerou o diretor-presidente da empresa, Ricardo Melo, de suas funções, indicando para o cargo o também jornalista Laerte Rimoli. Em seguida, Melo entrou com um pedido de recondução junto ao Suupremo Tribunal Federal (STF) alegando que, pela lei que criou a EBC em 2008, o mandato do diretor-presidente é de quatro anos, não coincidindo com o da presidência da República, justamente para assegurar a independência informativa do grupo, sem sofrer pressões políticas. 

    No início do mês, o ministro Dias Tofolli, concedeu a liminar, permitindo a recondução de Melo ao comando da EBC até que o assunto seja julgado em definitivo.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, a presidente do Conselho Curador da EBC, Rita Freire, reagiu com indignação às ameaças que a empresa vem sofrendo. 

    "É de espantar que um governo, por não conseguir trocar um presidente de empresa, queira então mudar a empresa ou acabar com ela” 

    Estamos lidando com momentos de retrocesso muito graves, e todo esforço para proteger aquelas estruturas que são da sociedade e não são do governo precisa ser feito. É isso que o Conselho Curador da EBC tem feito, porque há uma campanha de desqualificação da comunicação pública, uma campanha que mostra o quanto há de desconhecimento do que seja comunicação pública", disse Rita Freira.  

    A presidente do Conselho Curador diz lamentar a linguagem do governo interino, e a classifica de antiga. 

    "Temos nos Brasil uma tradição da comunicação privada, por isso há uma luta muito grande para que nos consigamos modernizar a comunicação do Brasil com o tripé governo, privada e pública. A (comunicação) pública não é do governo, mas o governo não entende isso. O Geraldo Alckmin tem demonstrado isso, assim como a mídia de São Paulo. A TV Cultura passou por um desmonte, tem posições políticas muito claras, tem aparelhamento, e isso não pode acontecer com a TV Brasil", destacou.

    Mais:

    Conselho Curador da EBC reage à tentativa de interferência na TV Brasil
    EBC ainda não definiu quando exibirá entrevista exclusiva com Dilma Rousseff
    Conselho da EBC comemora liminar do STF que mantém no cargo presidente da empresa
    Funcionários protestam contra nomeação de novo presidente da EBC
    Tags:
    empresa, comunicações, TV, EBC, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar