11:02 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Tomates proibidos de entrar na Rússia destruídos na fronteira com a Bielorrússia, na região de Smolensk

    Putin: Bielorrússia deve aproveitar momento para aumentar exportações para Rússia

    © Sputnik/ Viktor Tolochko
    Mundo
    URL curta
    21702141

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira que os produtores de alimentos da vizinha Bielorrússia deveriam aproveitar esse momento, de embargo a vários países, para exportar ainda mais para o mercado russo.

    A Rússia decidiu impor um embargo a produtos alimentícios de diversos Estados ocidentais em resposta a uma série de sanções adotadas contra Moscou logo após a reintegração da Crimeia à Federação Russa, em 2014. No entanto, muitos agricultores da União Europeia, tentando burlar o embargo, passaram a enviar seus produtos para a Bielorrússia com o objetivo de vendê-los indiretamente para o mercado russo, com rótulos falsificados. 

    "Se nossos parceiros bielorrussos adotarem certas medidas para atender, principalmente, aos interesses dos seus próprios produtores domésticos, eles estarão aptos a exportar ainda mais produtos para o mercado russo. É necessário usar a situação atual para aumentar a produção, inclusive pelas necessidades do mercado russo", disse Putin durante participação no Terceiro Fórum de Regiões Russas e Bielorrussas, em Minsk. 

    "Se não fizermos isso hoje, e, ao contrário, permitirmos que produtos sob sanções cheguem ao mercado russo, os produtores bielorrussos encontrarão mais dificuldade para progredir no mercado russo. Enquanto isso, nós queremos maçãs, carne, leite e outros produtos de origem bielorrussa, e não produtos que passam pelo território bielorrusso".

    Mais:

    Bielorrússia politiza comércio de mapas
    Rússia não planeja mudar preço do gás para a Bielorrússia
    Rússia irá prolongar embargo contra Ocidente até 2018
    Tags:
    sanções, União Europeia, Vladimir Putin, Moscou, Minsk, Crimeia, Ocidente, Europa, Bielorrússia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik