13:38 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Luis Almagro, secretário-geral da OEA

    OEA ameaça Venezuela de suspensão

    © AP Photo/ Jacquelyn Martin
    Mundo
    URL curta
    778

    A oposição venezuelana e o governo do Paraguai receberam com otimismo a decisão do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OAE), o uruguaio Luis Almagro, de invocar a Carta Democrática e convocar uma reunião com vistas a analisar a situação política na Venezuela.

    A medida, que é considerada uma forma de pressionar o herdeiro de Hugo Chavez no âmbito internacional, podendo levar à suspensão da Venezuela da OEA, foi elogiada por vários políticos, tanto nacionais, como estrangeiros.

    "O político imoral é aquele que perde essa visão, porque o único que lhe interessa é manter-se no poder, à custa da vontade da maioria", disse Almagro ao justificar a sua decisão, referindo-se ao líder venezuelano Nicolás Maduro.

    O presidente do parlamento unicameral venezuelano, o advogado Henry Ramos Allup, afirmou em uma entrevista coletiva que o mundo acompanha com atenção a "grave crise humanitária enfrentada pelo país".

    O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, controlada por oposicionistas, pediu cautela e reiterou que os legisladores do país irão analisar uma solicitação para se ter direito de palavra na OEA.

    "O secretário-geral da OEA apresentará o caso e vamos ver como ele se desenvolve", disse o líder do parlamento, reclamando dos problemas do seu país e culpando as autoridades. "Não existe verdadeira liberdade de expressão, a dissidência é perseguida e o governo se recusa a receber ajuda internacional em alimentos e medicamentos porque seria admitir uma crise".

    Outros opositores aderem às críticas e expressam apoio à iniciativa da organização.

    A decisão de Almagro foi saudada ainda pelo Paraguai, cujo chanceler, Eladio Loizaga, se solidarizou com as ações da OEA.

    Mais:

    ONU pede diálogo na Venezuela
    Rússia está pronta para ajudar Venezuela a superar crise
    Maduro chama a mobilização contra 'intervencionismo' da OEA
    Oposição da Venezuela diz que militares devem escolher entre Constituição e Maduro
    Tags:
    relações diplomáticas, diplomacia, parlamento, Carta Democrática, Mercosul, Assembleia Nacional da Venezuela, Organização dos Estados Americanos (OEA), Henry Ramos Allup, Nicolás Maduro, Eladio Loizada, Luis Almagro, Paraguai, Venezuela, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik