10:04 15 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Indultos de Putin e Poroshenko (12)
    6110
    Nos siga no

    A cidadã ucraniana Nadezhda Savchenko, que tinha sido condenada pela justiça da Rússia pelo assassinato de dois jornalistas russos em Donbass e indultada nesta quarta-feira (25) palestrou descalça ao chegar ao aeroporto de Kiev, muito emocionada, na frente dos jornalistas.

    A militar e parlamentar ucraniana (foi eleita deputado depois de ser presa por acusação de assassinato, à revelia) agradeceu tanto àqueles que lhe desejaram bem, como os que lhe desejaram mal e disse que não sabe o que fazer para que a vida no seu país seja "digna".

    Porém, revelou alguns de seus planos.

    "Vou conhecer vocês… Bebo dois litros de vodka, recupero-me", disse ela a jornalistas.

    Savchenko, considerada herói nacional da Ucrânia, foi detida por órgãos de segurança russas depois de ter atravessado a fronteira russa clandestinamente, fingindo ser refugiada. Em 9 de julho de 2014, ela foi acusada oficialmente de cumplicidade no assassinato de dois jornalistas russos em 17 de junho do mesmo ano. Desde então e até hoje estava presa em uma unidade de internação provisória. Este março a justiça russa reconheceu a culpa dela da morte de jornalistas e passagem ilegal da fronteira, condenando a deputada a 22 anos de prisão.

    Logo na largada a militar mostrou-se pronta de voltar a combates.

    "Estou pronta de dar mais uma vez a minha vida pela Ucrânia no campo de batalha", continuou a recém-indultada.

    Os demais planos da Savchenko foram revelados por outro político ucraniano – ex-primeira ministra do país (e ex-ré) Yulia Timoshenko, a líder da bancada parlamentar do partido Batkivshchina (Pátria, em ucraniano), pelo qual a ex-militar foi eleita deputada.

    "Está pronta de começar a trabalhar pela Ucrânia sem demora, hoje mesmo. A primeira pergunta dela foi essa: quando é que tenho que assumir os encargos", disse Timoshenko à mídia depois de ter recebido Savchenko no aeroporto, acrescentando que está totalmente disposta para ajudá-la.

    Entre os assuntos concretos a quais pretende se dedicar, Savchenko mencionou a área dos direitos humanos.

    Militar e deputada ucraniana Nadezhda Savchenko fala com jornalistas ao retornar a Kiev
    © AP Photo / Efrem Lukatsky
    Militar e deputada ucraniana Nadezhda Savchenko fala com jornalistas ao retornar a Kiev

    "Vou trabalhar para que todos os presos, que se encontram vivos, voltem vivos, para que haja menos falecidos, e vamos trabalhar para que a Ucrânia seja forte e para que os ucranianos tenham direito de ser ucranianos e viver dignos na sua terra", disse ela.

    Estas são as primeiras declarações da política novata, anunciadas na rua, sem Facebook e Twitter.

    Tema:
    Indultos de Putin e Poroshenko (12)

    Mais:

    É oficial: Savchenko volta à Ucrânia
    Avião que veio de Kiev com russos Erofeev e Aleksandrov pousa em Moscou
    República Popular de Donetsk enumera condições para voltar à Ucrânia
    Oops, Ucrânia ainda não sabe o que significa cooperar com o FMI
    Tags:
    entrevista coletiva, diplomacia, Acordos de Minsk, relações bilaterais, aeroporto, retorno, indulto, Vladimir Putin, Nadezhda Savchenko, Pyotr Poroshenko, Rostov-no-Don, Donbass, Rússia, Moscou, Kiev, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar