18:33 03 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    104
    Nos siga no

    O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, encarregou o Ministério do Interior do país, de chamar à responsabilidade os manifestantes que atacaram as autoridades e destruíram a sala de sessões do Parlamento no sábado (30).

    No sábado, centenas de adeptos de clérigo xiita Muqtada al Sadr invadiram o prédio do Parlamento em Bagdá para protestar contra o adiamento da votação da nova composição do governo. Os manifestantes já tinham apelado aos ministros que se demitissem devido à corrupção e que abandonassem o princípio de formação dos órgãos de poder de acordo com cotas confessionais. Durante a invasão, vários deputados ficaram feridos, foi destruída a sala de reuniões. Até a manhã de domingo, todas as entradas da cidade foram fechadas.

    "O comandante supremo, o primeiro-ministro Haider al-Abadi, encarregou o ministro do Interior, que persiga as pessoas que atacaram a guarda, os cidadãos e os membros do Parlamento, e que também cometeram atos de vandalismo contra a propriedade pública. Eles devem ser julgados e sofrer uma punição justa", declarou o premier na sua página do Facebook.

    Os manifestantes deixaram o Parlamento na noite de sábado e passaram para uma das praças dentro da zona verde. Al-Abadi mais tarde visitou pessoalmente a sala de sessões destruída pelos manifestantes.

    Como informa o canal Sky News Arabia, hoje está sendo realizada uma reunião de emergência, devido à situação no país, com a participação do premiê, do presidente Fuad Masum e do presidente do parlamento do Iraque Salim al-Dzhaburi.

    Mais:

    Embaixada russa em Bagdá opera normalmente em meio a protestos
    Explosão de carro-bomba em Bagdá
    Tags:
    parlamento, invasão, manifestantes, Haider al-Abadi, Bagdá, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar