01:13 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Logo da agência noticiosa Sputnik (foto de arquivo)

    Departamento de Estado recusa comentar a situação da Sputnik na Turquia

    © Sputnik / Konstantin Chalabov
    Mundo
    URL curta
    106
    Nos siga no

    O departamento de Estado dos EUA negou estar “aliviando” as críticas em relação ao bloqueio do site da agência Sputnik na Turquia e à extradição do editor-chefe do veículo para Moscou, declarou aos jornalistas o porta-voz do órgão, John Kirby.

    Apesar disso, Kirby se negou mais uma vez a comentar essa situação, ou a condenar o bloqueio do site da agência Sputnik na Turquia. “A Turquia deve falar sobre isso — eu só vi as notícias na imprensa, por isso redireciono vocês para a Turquia”, disse Kirby.

    Ao responder a pergunta do correspondente do Sputnik, se a recusa de condenar o bloqueio da agência não seria adotar duplos padrões, Kirby negou. “Eu nego sugestões de que estamos aliviando nossa posição só porque a mídia em questão é russa”, disse Kirby. “A nossa preocupação com a liberdade de imprensa na Turquia é antiga, bem conhecida, e, infelizmente, não tem mudado”, adicionou o oficial do governo.  

    O editor-chefe da agência Sputnik na Turquia, Tural Kerimov, informou na manhã desta quarta-feira que as autoridades turcas negaram a sua entrada no país, confiscaram as suas credenciais e visto de residência sem apresentar explicações.

    Mais:

    Exclusivo: chefe da redação turca da Sputnik conta como foi deportado
    Turquia recusa explicar proibição de entrada no país de chefe da redação turca da Sputnik
    Censura máxima: chefe da redação turca da Sputnik é proibido de entrar na Turquia
    Tribunal turco aprova decisão das autoridades de bloquear a Sputnik
    OSCE: Turquia deve corrigir sua legislação após bloqueio da Sputnik
    Autoridades turcas confirmam o bloqueio do site da Sputnik
    Tags:
    duplos padrões, censura, Sputnik Turquia, Tural Kerimov, John Kirby, Rússia, Turquia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar