03:20 24 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 81
    Nos siga no

    O presidente sírio já participou das eleições com a sua mulher, Asma, informou a agência de notícias nacional síria SANA.

    As eleições legislativas na República Árabe da Síria foram designadas para 13 de abril durante o cessar-fogo geralmente respeitado e as negociações de paz entre o governo e a oposição.

    O presidente sírio Bashar Assad em 22 de fevereiro emitiu o decreto número 63 que marcou esta quarta-feira como a data para votação para escolher membros do parlamento de única câmara, chamado de Conselho Popular da Síria.

    O anúncio foi feito alguns minutos após a Rússia e os EUA terem negociado o cessar-fogo que deveria entrar em vigor cinco dias mais tarde.

    O chefe do Comitê Superior Jurídico para Eleições (HJCE na sigla em inglês), Hisham Shaar, declarou à Sputnik nesta terça-feira (12) que cerca de 3,5 mil candidatos estavam concorrendo aos 250 lugares no parlamento sírio.

    De acordo com ele, os sírios poderão votar em mais de 7 mil estações de voto em todo o país. As seções eleitorais serão abertas às 7 de manhã (horário local), divulgou o oficial. 

    No mês passado o ministro das Relações Exteriores Walid Muallem declarou que as eleições parlamentares não teriam nenhum impacto sobre as negociações intersírias em Genebra, realizadas com mediação das Nações Unidas.

    Em 30 de março Assad declarou à Sputnik que ele não estava à espera de mudanças sérias no parlamento sírio após as eleições, mas confirmou que o voto significará que a Síria existe como um Estado apesar da presença de vários grupos terroristas em seu território.

    Mais:

    Rússia insiste que curdos participem nas negociações sírias
    Tags:
    eleições parlamentares, parlamento, Bashar Assad, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar