00:14 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    314
    Nos siga no

    O jornalista sírio que foi baleado na cabeça por membros do Daesh em Gaziantep, no sul da Turquia, no último final de semana acabou morrendo em um hospital da região nesta terça-feira, segundo informaram ativistas.

    Mohammed Zaher al-Shurqat, que era conhecido por suas duras críticas ao grupo jihadista, caminhava tranquilamente por uma rua da cidade turca, no domingo, quando foi surpreendido por um terrorista mascarado, de acordo com as agências Dogan e Anatolia. 

    "Isso é uma ameaça a todos os pensadores livres que estão combatendo o extremismo e morando na Turquia", disse o ativista sírio Ibrahim al-Idelbi, que também vive em Gaziantep, em declarações à AFP.

    A cidade onde al-Shurqat foi assassinado se tornou uma espécie de refúgio para diversos jornalistas e ativistas da Síria que tiveram que deixar o país justamente para escapar dos jihadistas. Mas a segurança na localidade já não é mais a mesma desde dezembro passado, quando o documentarista Naji Jerf, outro opositor ao avanço do Daesh, também foi executado a tiros. 

    Em outubro, outros dois ativistas sírios, Ibrahim Abdelkader e Fares Hamadi, também foram mortos na Turquia por combatentes do Daesh. Esses crimes, no entanto, ocorreram na cidade de Sanliurfa.

    Mais:

    Síria tem sete violações do cessar-fogo em 24h
    Moscou: liderança turca é totalmente responsável por crise entre Rússia e Turquia
    Atentado com carro-bomba deixa um morto e pelo menos 25 feridos na Turquia
    Turquia fornece armas à Frente al-Nusra com apoio de oposicionistas controlados por EUA
    Tags:
    execução, terrorismo, Daesh, AFP, Anatolia, Dogan, Naji Jerf, Fares Hamadi, Ibrahim Abdelkader, Zaher al-Shurqat, Ibrahim al-Idelbi, Sanliurfa, Gaziantep, Síria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar