22:37 25 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Documentos de cidadão holandês durante a votação

    'Aproveitamos qualquer oportunidade para criar tensão'

    © Sputnik/ Irina Popova
    Mundo
    URL curta
    0 31

    Jan Van Benthem, que é o observador do panorama internacional do jornal Nederlands Dagblad, compartilhou com a Sputnik a sua opinião sobre o referendo de associação da Ucrânia com a União Europeia que foi realizado na quarta-feira (6) em Amsterdã.

    O observador insiste que o objetivo principal do referendo na verdade foi fomentar a discussão da hipótese da saída da Holanda da União Europeia.

    “Não temos nada a ver com a Ucrânia. Não temos tido, até o momento, a possibilidade de realizar um referendo sobre a saída da Holanda da UE, é por isso que estamos prontos para aproveitar qualquer oportunidade de criar tensão nas relações entre a UE e a Holanda”. Estas palavras citadas por van Benthem são de Arjan Van Dixhoorn, chefe de Burgercomité (Comitê Cidadão) da UE uma semana antes do dia marcado para a votação. É uma explicação clara do objetivo principal do povo holandês que participou na votação.

    Jan Van Benthem acredita que os holandeses podem organizar uma votação igual ao referendo do Reino Unido, que deve acontecer em junho. O referendo, conhecido como Brexit, repetirá a tentativa da Grexit grega do ano passado.

    “Não é nenhuma fantasia, senão que tais opiniões estão quase a ponto de virar realidade”, declarou Jan van Benthem à Sputnik.

    Há divergências também nos outros países da Europa tais como França, Bélgica, Suécia e Finlândia. Segundo uma pesquisa da universidade de Bielefeld, citada pelo jornalista, cerca dos 20% da população nos países da Europa se manifestam contra a política europeia.


    Mais:

    Associação com Ucrânia 'só beneficiará os oligarcas', não o povo
    Referendo: população holandesa votou contra a associação entre Ucrânia e UE
    Tags:
    associação, referendo, votação, Jan Van Benthen, Holanda, União Europeia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik