13:00 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Um candidato à presidência dos EUA fala em Washington. 18 de junho, 2015

    ‘Superterça’ nos EUA: candidatos pavoneiam-se, a luta começa

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Mundo
    URL curta
    401

    Os candidatos à presidência dos EUA – a democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump – após a “Superterça”, vitoriosa para ambos, começaram a luta entre eles.

    Este fato só pode significar uma única coisa – os presidenciáveis já se sentem como participantes da luta final pelo lugar na Casa Branca.

    Nesta terça-feira (1), os delegados dos partidos Democrata e Republicano de 12 estados norte-americanos e da Samoa Americana (território dos EUA na Polinésia) votaram em seus candidatos no dia mais importante das primárias presidenciais. 

    De acordo com os últimos dados, Clinton venceu em sete estados americanos, o que coincide exatamente com o número de estados nos quais o seu principal rival, Donald Trump, venceu. Ainda não foram divulgados os resultados da votação no Alasca.

    Falando aos seus apoiantes, a candidata do Partido Democrata expressou tradicionalmente a sua crença na ideia de que "a nossa força é a unidade", agradecendo ao mesmo tempo ao seu principal concorrente do partido, o senador Bernie Sanders, por ter participado na disputa.

    Enquanto isso, os outros candidatos tentam não se afastar dos líderes – alguns deles por meio de declarações e ações polêmicas.

    Sanders considera o sistema eleitoral corrupto, devido à forma de financiamento, e os bilionários como o mal principal da América, quer dizer, critica ambos os líderes atuais da corrida presidencial. Ele venceu em quatro estados na “Superterça”.

    Trump reagiu aos resultados de ontem mais tarde do que Clinton e se apresentou como o principal candidato do seu partido. No entanto, em contraste com a ex-secretária de Estado, ele não proferiu declarações diplomáticas e falou em sua forma agressiva, como de costume.

    Segundo ele, Clinton não tem nada a oferecer aos cidadãos do país porque ela já está por muito tempo na cena política. 

    Mas os seus colegas do Partido Republicano estão mais preocupados não com a possibilidade de uma luta eleitoral contra Clinton, mas com o fato de essa luta ser travada por Trump.

    "A vitória de Trump seria um desastre para os republicanos, para os conservadores, para o país", declarou o senador Ted Cruz, falando com os seus apoiantes no seu estado natal, Texas, onde ele conseguiu vencer o bilionário.

    Tags:
    corrida presidencial, Bernie Sanders, Hillary Clinton, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik