14:27 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Navio turco do grupo militar da OTAN TCG Turgutreis realiza manobras no mar Negro, 16 de março de 2015

    Turquia cria obstáculos para OTAN no sul da Europa?

    © AP Photo / Vadim Ghirda
    Mundo
    URL curta
    10254

    A Turquia recusou-se a deixar entrar nas suas águas territoriais a segunda esquadra militar da OTAN, que está se dirigindo para o mar Egeu para monitorar fluxos migratórios entre a Turquia e a Grécia e prestar apoio aos barcos com migrantes que frequentemente naufragam, disse a emissora RTBF.

    Segundo a emissora, as autoridades turcas justificam a sua posição pelo fato de que o comandante de grupo de navios da OTAN, contra-almirante Jorg Klein, deve visitar Ancara para determinar a zona onde os navios ficarão.

    A mídia informa que Berlim e Ancara realizam negociações sobre este assunto. Além disso, segundo a RTBF, as autoridades turcas não estão entusiasmadas sobre a ideia de voltar a acolher no seu território os refugiados salvos pelos navios da OTAN no mar Egeu.

    Segundo o jornal turco Hurriyet, uma fonte diplomática turca desmentiu as informações sobre a recusa de deixar entrar os navios da OTAN em águas territoriais do país.

    “Não consideramos necessário reagir a informações cujas fontes não conhecemos. É evidente que são falsas e destinadas a criar uma provocação. Os trabalhos continuam para assegurar que a OTAN realiza esta atividade tal como foi planejado”, disse a fonte.

    Um pouco depois, na quarta-feira (2), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Tanju Bilgic, disse que as informações sobre a indignação turca quanto ao monitoramento no mar Egeu não correspondem à realidade porque a iniciativa da ideia pertenceu precisamente à Turquia.

    A decisão de enviar um segundo grupo de navios militares da OTAN para as águas territoriais da Turquia foi tomada em 11 de fevereiro na reunião de ministros da Defesa dos 28 países da aliança.

    Tags:
    obstáculo, águas territoriais, navios, OTAN, Mar Egeu, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik